Burger King faz parceria com Marfrig para lançar Whopper vegetariano que ‘imita carne’

Burger King faz parceria com Marfrig para lançar Whopper vegetariano que ‘imita carne’

Fernando Scheller

12 de agosto de 2019 | 07h00

O “hambúrguer sem carne” vai ganhar escala na oferta ao consumidor brasileiro, pela rede de fast-food Burger King. A cadeia de lanchonetes vai lançar em 10 de setembro, depois de forte campanha de marketing, o Rebel Whopper no Brasil.

Com ingredientes 100% vegetais, mas gosto e aroma semelhantes aos da carne bovina, o produto foi o principal motivo pela rede ter lucrado acima das expectativas nos EUA, no último trimestre. A Lanchonete da Cidade já vende o hambúrguer vegetal no Rio e em São Paulo, mas em escala menor.

O Brasil vai ser o terceiro mercado da rede Burger King a ter o produto que parece carne, mas não é. Nos EUA, a parceria foi fechada com a startup Impossible Foods.

Ariel Grunkraut, do Burger King: parceria com a Marfrig (Foto: Alex Silva/Estadão)

Por aqui, o produto chegará pouco mais de um mês depois da estreia em todo o território americano (antes disso, o Impossible Whopper foi vendido em alguns mercados, em fase de testes). A “carne vegana” também já começou a ser vendida na Suécia, com o nome de Rebel Whopper. À exceção dos EUA, o nome do produto não será associado ao fornecedor dos hambúrgueres de plantas.

No Brasil, a fornecedora do Burger King será com a gigante das carnes Marfrig, que anunciou semana passada uma parceria com a processadora de alimentos e trading americana ADM. Segundo o diretor de marketing do Burger King Brasil, Ariel Grunkraut, a receita do Rebel Burger brasileiro será exclusiva. Ele não revela o “mix” de vegetais, mas diz que não haverá elementos transgênicos na composição.

Apesar de serem parcerias em larga escala, o acordo entre Marfrig e Burger King não impedirá a presença do produto em outras redes de lanchonetes ou no varejo.

Fanfarra. Como é de praxe quando se trata de Burger King, a rede vai fazer barulho para a chegada do Rebel Whopper. Nos dias que antecederão a estreia do sanduíche em 58 lojas de São Paulo, a empresa colocará no ar uma campanha de televisão explicando a novidade. A ideia é que, nas semanas seguintes, o produto seja aos poucos distribuído para todas as unidades da rede no Brasil.

Para Grunkraut, os hambúrgueres de base vegetal tendem a ter boa aceitação entre os jovens, principal público-alvo da rede, que está disposto a experimentar novidades. O sanduíche chegará ao mercado com preço em linha com os “combos” dos demais produtos. Ele diz que, apesar da chegada do Rebel Whopper, a opção “veggie” que já existia no cardápio será mantida.

Rebel Whopper chega a SP no dia 10 de setembro (Foto: Burger King)

Resultados. Com o capital aberto na B3, a operação local do Burger King registrou prejuízo de R$ 600 mil no segundo trimestre, revertendo lucro de R$ 8,6 milhões no mesmo período no ano passado.

O resultado foi considerado decepcionante por analistas e investidores, apesar do aumento nas vendas em lojas da rede em funcionamento há mais de um ano. A ação da empresa teve queda de 4,6% no pregão de sexta-feira, fechando a R$ 20,51.

Tendências: