Força de Expressão

Estadão

31 Outubro 2012 | 19h04

“Não apenas o crescimento (dos países) seria mais alto se tais políticas (de austeridade) não tivessem sido aplicadas, mas a relação dívida/PIB seria menor (…) Embora a UE tenha sido criada em parte para evitar falhas de coordenação em políticas econômicas, bloco deve fazer exatamente o oposto.”

Instituto Nacional para Pesquisa Econômica e Social. Estudo do Niesr (na sigla em inglês), escrito pelos economistas Dawn Holland e Jonathan Portes, é o primeiro a simular impacto quantitativo de medidas de austeridade coordenadas na UE.

31 de outubro de 2012

Leia mais: Austeridade na UE é autodestrutiva e prejudica crescimento, diz estudo