Momento de Repensar

José Paulo Kupfer

16 de janeiro de 2009 | 17h50

O tema levantado pelo leitor KY, com gancho no acidente com o avião da US Airways, ontem, nos Estados Unidos, em que os 156 passageiros e tripulantes se salvaram, e o destaque ficou para a perícia do piloto do avião, dá mesmo o que pensar.

Enviado por: KY

Os “Drs. de gente”, mestres da psicologia empresarial, não conhecem nem a si próprios, pois insistem em pregar a discriminação ao não admitirem homens e mulheres com mais idade. Se dependesse da avaliação destes “conhecedores” da mente humana, o piloto do avião A320 que caiu no rio Hudson, pelos critérios “vigentes” de avaliação, não obteria oportunidade de demonstrar sua qualificação.

Aqui está a prova inequívoca do despreparo destes profissionais, que insistem em desprezar a experiência, por medo da concorrência. Por essa razão, criam conceitos subjetivos, para inviabilizar a absorção de profissionais com idade mais avançada, pois sabem perfeitamente que a experiência só é possível de ser adquirida na universidade da vida.

Chesley Sullenberger, 57, antigo piloto da Força Aérea dos Estados Unidos conseguiu desembarcar o Airbus A320 sobre o rio Hudson após seu motor aparentemente ter sido estrangulado por um vôo de aves.

O exemplo do piloto hoje heroi, deveria servir para uma avaliação sobre o comportamento destes atravessadores de mão-de-obra, infiltrados nos departamentos de recursos humanos das organizações de maior porte, e travestidos de “Drs. de gente”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.