Picaretagem global

José Paulo Kupfer

09 de dezembro de 2007 | 23h00

Não tem a ver com economia, mas tem a ver com informação e credibilidade – e aí tem a ver com tudo, inclusive economia. O “Fantástico” deste domingo apresentou um quadro sobre relacionamentos de casais, em que a “legitimidade”, digamos, “científica”, era passada por um cidadão apresentado como “psicoterapeuta da USP”. A USP pode até precisar de psicoterapia, mas, até onde se saiba, não tem psicoterapeutas. Pode ter professores e pesquisadores em psicoterapias. Pode ter quem se formou lá e é psicoterapeuta. Mas “psicoterapeuta/USP”, como aparecia no gerador de caracteres, isso não tem. O cheiro, em bom português, é de pura picaretagem.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.