A arte precisa estar nas empresas

A arte precisa estar nas empresas

Claudia Miranda Gonçalves

17 de maio de 2022 | 11h27

Por Andréa Nery

Estamos tão condicionados a uma forma de trabalho estruturada, guiada por regras, pautadas em fatos e análises que perdemos muito de nossa capacidade natural de perceber o que está se passando nas relações que envolvem as trocas dentro das empresas.

Mas em um momento em que a pauta é transformação digital, complexidade e bem-estar, surge a necessidade de buscar formas de desafiar este condicionamento e promover práticas que permitam as pessoas se redescobrirem e se reconectarem.

A arte é uma maneira eficaz para proporcionar uma vivência inovadora no ambiente de trabalho e nas relações, que ainda precisa ser mais explorada e aceita.

A arte é capaz de estimular a auto expressão e promover a integração dos níveis emocional, racional e corporal, e pode atuar em múltiplos problemas relacionados à comunicação, integração e relacionamentos interpessoais.

Mas, como é possível incorporar a arte na empresa?

Compartilho aqui O trabalho para incorporar diferentes tipos de arte nas entregas com equipes que buscam romper barreiras e levar a criatividade como forma de trabalhar questões relevantes dos negócios, encontrar soluções para problemas complexos e humanizar seus processos.

A liderança, em geral, é a primeira a experimentar a expressão artística e refletir sobre o impacto e mudanças nos resultados alcançados. Queremos iniciar uma mudança de mentalidade para que os lideres sejam exemplo e estimulem os colaboradores.

Há resistência e estranheza, causadas pelo convite inovador e pela falta de familiaridade, mas o tempo traz o engajamento porque a arte, mesmo para quem não é dotado artisticamente, resgata uma leveza e alegria que estão na nossa natureza, e que foi perdida com a pressão crescente no mundo dos negócios.

A proposta deve ser clara e endereçar questões relevantes, que tiram o sono dos tomadores de decisão. E isso não nos falta, a transformação digital em um contexto complexo e volátil exige colaboradores criativos, motivados e com maior capacidade de interação interpessoal e trabalho em equipe. Os altos índices de stress e “burnout” exigem uma abordagem que resgata a humanidade das relações para promover o bem-estar.

Para transformar a experiência deve estar em diferentes momentos, combinadas com outros estímulos e sempre convidando para um olhar além dos limites dos padrões de pensamento e ação, abrindo assim um novo espaço de desenvolvimento para o indivíduo e a organização.

As iniciativas acontecem em grupo para que existam trocas de experiências, e depois oferece formas de inserir práticas no dia a dia. Quando o grupo vivencia uma experiência que desencadeia um processo de autoconsciência e de conexão é capaz de construir relacionamentos significativos e autênticos.

Existem várias formas de colocar a arte nas práticas de negócio:

– Encenações para que os times possam reconhecer sua dinâmica.
– Imagens e colagens para recriar histórias e identificar padrões.
– Desenho para construir uma visão comum de futuro.
– Música para estimular reflexões e expressar sentimentos.
– Cinema e vídeos para provocar debates e questionar.

Independentemente da forma escolhida, a arte desencadeia um processo que ajuda a identificar relações mais sutis, trazer insights e a nos conectar com à nossa imaginação. Ao transferir a forma de pensar a arte para o contexto de trabalho é gerada uma nova consciência que cria novas ações e escopos de decisão. Ao refletir a arte, o autoconhecimento individual e coletivo cresce.

O que fazer arte reflete em você? Como isso reflete em como você lida com sua relação no time? Que pensamentos surgem? Como reage aos erros, interferências e coisas não planejadas? Você já tem um resultado esperado ou deixa acontecer? Qual a dinâmica do time?

A arte conecta ciência e espiritualidade permite falar de coragem, de confiança, sentimentos e emoções. Recentemente experimentei um workshop que através da arte do desenho estimulava entender as diferentes maneiras pelas quais o julgamento, dúvida e perfeccionismo se manifestam. Estas oportunidades ajudam a aumentar o repertório de ideias que podem ser aplicadas em times.

A arte humaniza as empresas, traz cor, vitalidade, movimento e expressão ao mundo e ao local de trabalho. E, potencializa os resultados!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.