A Energia Vital Da Empresa

Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

A Energia Vital Da Empresa

Claudia Miranda Gonçalves

20 de outubro de 2020 | 10h30

Por Andréa Nery

A metáfora da empresa como um organismo vivo, já usada há algum tempo, nos ajuda bastante a entender as dinâmicas e as relações presentes dentro de uma organização.

Em um contexto V.U.C.A. (volátil, incerto, complexo e ambíguo) é ainda mais importante aceitar que as empresas apresentam ciclos e que são estruturas organizadas e complexas onde não existe uma única melhor forma de execução para uma tarefa, que ações diferentes podem ser tomadas em situações similares e que a cada momento as respostas serão resultado de uma ampla combinação que envolve necessidades e ambições particulares.

Ultimamente mais trabalhos vêm sendo realizados para entender a energia vital deste organismo vivo. Entender o princípio que conecta tudo que é importante, o que lhe dá vida e permite que se diferencie das outras, que atraia clientes, que crie produtos e soluções que atendem a sociedade.

Estes trabalhos têm demonstrado que é preciso ter um olhar para o todo e não só para as partes, e observar as conexões, com as pessoas, com a forma em que tudo o que pertence a organização se inter-relaciona, se ajusta e se ordena.

Uma visão sistêmica para a empresa contribui muito para entendermos sua energia vital. Com esta visão ampliamos a perspectiva e incorporamos soluções que estão além do conteúdo, das qualidades ou dos recursos.

Um bom líder no entorno atual precisa tomar decisões difíceis em contextos de incerteza e complexidade, precisa desenvolver a habilidade de perceber o que está emergindo para responder rapidamente e explorar caminhos de inovação.

Em um trabalho recente o líder de uma empresa trouxe a dificuldade de vender sua solução para um cliente importante, havia um desgaste de sua equipe e a perceptível falta de energia impactando resultados.

Era a segunda vez que um de seus executivos apresentava uma solução ao gestor da área contratante e apesar do diferencial e das vantagens financeiras o contrato não se concretizava.

Usando uma abordagem focada no problema eles já haviam realizado um diagnóstico através do detalhamento dos serviços oferecidos e do entendimento dos aspectos técnicos, exploraram preço e concorrência.

Este líder percebeu que havia algo mais sutil na situação e que se seguisse focando no conteúdo perderia mais uma oportunidade.

Nosso trabalho foi para entender a energia vital e motivadora, o que era possível perceber nas conexões, o que parecia não ter sentido no que estava acontecendo.

Através de uma dinâmica sistêmica observamos que as soluções oferecidas apesar de atenderem as necessidades da empresa não se alinhavam com as aspirações do gestor da área e que havia um indicativo de uma mudança sutil na estratégia para incorporar aspectos simples que colocariam a proposta em fluxo.

Ao reconhecer o que estava por trás da situação e observar a realidade através de um novo ponto de vista este líder descobriu que as dificuldades não eram negligência de seu time, mas que haviam conexões e padrões de comportamento que exigiam uma maneira diferente de abordar e tomar a decisão.

Esta abordagem acelera o entendimento e coloca o foco na solução da questão, tira a atuação de uma busca de culpados e de uma mentalidade de escassez.

Se o líder observar sua empresa como um organismo vivo, e buscar entender o pulsar da energia vital tomando certa distância em relação ao problema e observando o conjunto de uma maneira mais global, como um todo, reconhecerá algo que não vai bem.

As empresas precisam buscar soluções para ampliar a visão e perceber as sutilezas das conexões, isso permitirá ao líder manejar diferentes contextos sem ficar bloqueado em nenhum deles, poderá discutir pontos de vista diferentes e lidar com conflitos sem ficar paralisado nos erros.

Não é suficiente entendermos a empresa como organismo vivo, precisamos trata-la desta forma para que cumpra seus ciclos de forma saudável neste mundo V.U.C.A.!



Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: