A Passagem do Tempo

A Passagem do Tempo

Claudia Miranda Gonçalves

03 de maio de 2022 | 19h18

Por Andréa Nery

Tecer conexões é o trabalho de uma vida…

Vamos simplesmente vivendo, rápido ou devagar, e os fios que usamos parecem emaranhados e sem forma, um amontoado de conexões que toma corpo e nos envolve.

Para mim, o mês de maio traz a oportunidade de parar e observar a nuance dos fios que estão compondo o meu tema. Sem a pretensão de entender completamente, mas com o desejo sincero de trazer intenção para a composição.

Este é um momento que me leva de forma alegre e divertida para o princípio de tudo, e me ajuda a desfrutar o início de mais um ciclo da vida.

Na minha trama, não faço questão de grandes comemorações, mas fico imensamente feliz com as mensagens, ligações e manifestações de carinho que me ajudam a perceber a força do tecido que sustentará meus próximos passos em direção ao futuro que estou escolhendo.

Quando muito pequena, no meu dia, um evento especial sempre me marcava, vivendo distante de meus avôs, eu esperava ansiosa o telegrama com as breves palavras que mostravam que eles estavam pensando em mim. Sentia-me especial.

 

Com uma família grande, mas espalhada em muitas cidades diferentes, as festas eram pensadas para que os poucos presentes ficassem alegres em festejar conosco. Fazíamos os enfeites, os docinhos e o bolo com um carinho especial. Em uma época em que não encontrávamos temas prontos para a venda passávamos dias imaginando e preparando o que faríamos.

Uma verdadeira arte de tecer com intenção.

Hoje, depois de alguns muitos anos, vejo que minha caminhada gerou muitos laços pelos lugares que passei, ajudando a compor um mosaico impar de cores e texturas.

E vejo a evolução do tempo, que aos meus olhos passou rápido, trazendo com ele mais e novas formas de criar encontros e gerar conexões.

O tempo é um fator importante no trançar dos fios, ele traz ferramentas que ajudam a reforçar, enfraquecer, emaranhar, liberar os nós que vão se formando. O tempo não para, e ao mesmo tempo, nos dá a chance de fazer escolhas.

O telegrama virou WhatsApp, rede social, e as ligações ficaram mais sofisticadas com o Zoom!

E, em um mundo em que as distâncias diminuíram e as relações ficaram mais voláteis, tecer com intenção mudou, sem ter sua essência perdida.

Este ano, as pessoas de lugares distantes da minha rede mostraram sua força. As poucas ligações fizeram muita diferença; como vou sentir falta se elas não acontecerem mais! O Zoom também reafirmou que é preciso algum esforço para seguir juntos diante dos atropelos que deixamos a vida dar na gente. E o delivery surpreendeu com tanto carinho colocado em uma caixa!

Novos movimentos também estavam presentes na busca de reforçar laços, e outros ausentes sinalizando uma mudança nas intenções e prioridades.

Este olhar de cima para a obra em constante construção é fonte de energia e vitalidade para o meu novo ciclo. Gera consciência e abre caminho. Trata-se de um convite para a leveza e aceitação das coisas como elas são.

Todos temos o dia especial em que as relações começam a ser tecidas, quando o tempo começa a contar. Um dia que se repete anualmente, simbolizando o fim e o começo de um novo ciclo; quando todas as energias se concentram e são atraídas para você.

No seu dia, aproveite. Observe o tecido que se forma. Desfrute-o e agradeça. Em todos os outros dias, dedique-se a tecer a trama, faça escolhas, mesmo sem se dar conta do que está tecendo. O tempo vai passar para mostrar o resultado.

Para todos que fazem parte deste meu mosaico, meu obrigada pelo que tecemos juntos neste ano!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.