Ao vivo é sempre melhor

Claudia Miranda Gonçalves

19 de junho de 2019 | 10h00

Por Flavia Ferrari

Este mês eu tive uma das experiências mais intensas e gratificantes da minha vida. Fechei um negócio para ter um estande em um evento numa segunda-feira à noite. Detalhe: esse mesmo evento começaria na sexta-feira com término no domingo. Eu precisava de material de divulgação, meus livros para poder vender e autografar e ter tempo para organizar tudo em apenas 3 dias úteis.

E agora, você me pergunta: mas Flávia, como você conseguiu organizar uma participação em um evento em apenas 3 dias? É o seguinte: a gente precisa sempre organizar. Antes de ficar maluca e não saber para onde correr, eu sentei com a minha equipe e conversamos sobre o que precisávamos para esses dias. Enumeramos cada item em uma videoconferência e distribuímos o que cada pessoa iria fazer. Parece que é simples (e na verdade é), mas não é o que acontece quando temos muita coisa para fazer.

Nos sentimos tão perdidos às vezes com tantas demandas e itens para organizar e pensar que fica difícil colocar uma ordem de prioridade de execução. Mas o segredo é esse: parar e pensar. Se você tem pouco tempo, isso é mais importante ainda. No programa Masterchef em que os participantes têm apenas 1 hora para desenvolver um prato, pelo menos uns 5 minutos eles precisam parar para pensar como vão fazer, quais ingredientes usar e escolher as louças corretas. Na vida, é igual. Se você sai atropelando tudo sem pensar, certa vez vai precisar refazer e quem não tem tempo sabe o quanto ele é valioso.

O saldo do evento foi: conseguimos tudo a tempo; participei de uma roda de empreendedores no palco e tive a maravilhosa surpresa de saber que todos ali me conheciam (perguntei e pedi para levantarem a mão e 95% levantou, foi lindo!); vendi e autografei livros, abracei todo mundo e fiz questão de dedicar meu tempo com essas pessoas. E por isso eu digo, ao vivo é sempre melhor e o tempo é realmente valioso.

Tendências: