Sua carreira na Espiral Dourada

coluna

Coluna Dan Kawa: Juro baixo é bom, mas impõe desafio ao investidor

Sua carreira na Espiral Dourada

Claudia Miranda Gonçalves

19 de maio de 2020 | 10h30

Por Andréa Nery

Que loucura estes últimos dois meses, não é mesmo? Cada um do seu jeito ligou o modo sobrevivência.

Neste período algumas das novas rotinas já se incorporaram aos novos tempos e, em conversas mais recentes com clientes, já aparecem movimentos que a desativação deste modo começou a ser testada.

Um tema que tem sido frequente é de revisão de carreira.

E este tema faz todo sentido! Revisão de carreira sempre foi uma questão recorrente em processos de mentoria e coaching, mas o contexto atual está disparando uma reflexão mais profunda e coletiva, surgiu a necessidade de pensar no novo sentido das coisas e trabalhar a capacidade de adaptação às mudanças sem se perder de si mesmo.

Gostaria então, de trazer uma provocação para vocês.

Como a maioria das minhas provocações ela é fruto de experiências em contextos diversos, e de conexões que vou fazendo e que começam a fazer sentido despertando o meu desejo de estimular outras pessoas a tecer comigo uma nova visão.

Neste final de semana tive acesso a dois textos de Michel Bachmann (um texto de junho 2018, e outro de julho de 2018), em que ele propunha um olhar diferente sobre o modelo Círculo Dourado (“Golden Circle”) proposto por Simon Sinek.

Com foco em comunidades, ele sugere começar o modelo com o “Quem”, e o transforma em uma Espiral Dourada (“The Golden Spiral”) evolutiva, e a observa a partir do local e tempo em que está inserida.

Esta evolução do modelo, fez sentido para mim, e ela reflete a necessidade emergente que estamos vivendo, e a partir dela que gostaria de propor uma reflexão sobre carreira.

O convite é para explorar a Espiral Dourada na perspectiva da sua carreira.

Não olhe para a carreira como um processo linear, pense nela como algo em evolução, você continuamente passará pelos diferentes pontos, mas ascendendo, sempre em um novo patamar de consciência.

O “Quem” é o centro de toda reflexão. Você representa o DNA de sua carreira. Em você está todo o potencial para entregar sua ambição. São os seus valores que sustentarão os momentos mais difíceis, quando algo não estiver bem. Pergunte-se: O que você é? O que quer se tornar?

O “Por Que” é o centro do círculo dourado, que aprofundado tem limites muito fluídos com o “Quem”. É um convite amplo que leva à sua ambição de estar no mundo e que vai se adaptar as mudanças do tempo. Pergunte-se: O que o conecta com o todo? O que se realiza através de você?

O “Como” ajuda a refletir sobre as necessidades para realizar sua ambição, para alcançar a carreira com satisfação. Pergunte-se: O que você precisa para se realizar? O que está faltando?

O “O que” , é onde você concretiza o que vai entregar, testa possibilidades e cria protótipos. Pergunte-se: O que você entrega para o mundo? O que é a sua proposta de valor exclusiva?

Sua carreira deve ser o resultado de um alinhamento destes pontos, e não é uma questão de definir o mais importante, mas de reconhecer a fonte de energia e alinhar tudo a partir desta fonte.

Ninguém funciona no vazio e é relevante estarmos conscientes do contexto: o “Onde” e “Quando”.

Por isso, finalmente considere avaliar sua carreira a partir desta perspectiva: Para onde o mundo está indo? O que trago comigo agora?

Estamos diante de um futuro emergente, esta reflexão se faz necessária, o mapa mudou, e para aterrissarmos, expandirmos nossa consciência do que é possível, e trazer um sentido para a carreira, será preciso dar o primeiro passo e percorrer a espiral ascendente.

Vamos juntos neste caminho?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: