nada pessoal

Claudia Miranda Gonçalves

11 Setembro 2018 | 10h05

Não é nada pessoal.

Se você nos acompanha por aqui, já sabe que acreditamos que o futuro tem coração. Se você está chegando agora, esse é mais um texto para alertar sobre a importância das emoções como combustível para a felicidade e o sucesso.

Certamente, você já sentiu que não está sozinho. Que muitas das suas impressões e emoções são compartilhadas com outras pessoas que estão perto de você, como por exemplo, colegas de trabalho, amigos, familiares. Sim, acredite, você não sente sozinho. Você faz parte de um todo, um sistema que funciona junto e misturado; sempre.

Como seres comunitários, vivemos em grupos, fazemos coisas juntos, vivenciamos experiências coletivas. É juntamente essa “comunhão” que nos ajuda a seguir em frente, a criar vínculos, a ter objetivos. Assim, o que você faz e sente ressoa entre todos do grupo, não tenha dúvida disto. Por outro lado, o que cada membro do grupo faz e sente, também, ecoa em você. O sistema é circular, é vivo, é ressonante.

Quando entendemos que somos parte de um sistema, nossa responsabilidade aumenta e muito. E é aí, também, que uma luz se acende, nos alertando para a necessidade de nos conhecermos melhor, de nos reconectarmos conosco, de aceitar o que nos é apresentado e de fazer as pazes com o que precisa estar em paz em nós. Feito isso, estamos prontos para entender as informações que as emoções nos transmitem, estamos aptos a usar as emoções para ler o que está acontecendo ao nosso redor e, assim, podemos responder com coragem aos desafios que nos são apresentados no nosso dia a dia. As emoções e sensações são como a música – uma vibração que preenche todo o ambiente. Quando ouvimos música, o nosso corpo todo responde; a música chega primeiro ao corpo e depois ao intelecto. As emoções e sensações são como música, mas vibram numa frequência inaudível, porém inescapável; sentimos juntos.

Então, da próxima vez que você precisar engolir o choro ou tentar disfarçar o descontentamento, lembre-se deste texto e reflita um pouco mais. Lembre-se que quase nada é pessoal, você está em um sistema e as pessoas mais próximas estão sentindo junto com você. Repito: o que você sente não é exclusivo, pode até ter intensidades pessoais, mas você não está sentindo sozinho. Da mesma forma, quando você alcançar uma vitória, lembre-se que conquistas precisam ser comemoradas com todas as pessoas que fazem ou fizeram parte do sistema.

Acredite, quando você vê o mundo desta perspectiva, as coisas vão deixando de ser pessoais e tudo passa a fazer mais sentido, ficando até mais leve. E se você é um líder, atenção, a sua experiência social é importantíssima para que o seu time trabalhe no modelo de colaboração, de cocriação, de cooperação, que é o melhor caminho para gerir os desafios profissionais que vivemos nesse século. Além disso, você, líder, precisa estar atento às emoções que circulam entre a sua equipe e deve proporcionar ao time a possibilidade de entender que uma equipe é um sistema e que todos são responsáveis pela energia que faz essa roda girar.

Quero voltar, ainda, em um tema mencionado no começo deste texto: sucesso e felicidade. Estamos acostumados a achar que um puxa o outro, mas quer saber, não é o sucesso que traz a felicidade e, ouso dizer, que nem é a felicidade que leva ao sucesso. Se você encara sua própria experiência como uma expressão dinâmica do sistema, vai perceber que sucesso e felicidade são apenas parte de algo muito maior e que o seu sucesso e a sua felicidade dependem de um sistema saudável, dinâmico e harmonioso, que você pode ajudar a construir se deixar de acreditar que as emoções são sentimentos puramente pessoais.

E para terminar, que tal um exercício para aprender a ouvir a música emocional que toca em você?

  1. Feche seus olhos por um momento e construa dentro de você uma casa de hóspedes onde você possa receber as emoções e sensações à porta, de braços abertos. A casa de hóspedes está bem pertinho da sua casa, mas não é sua casa : )
  2. Pergunte-se qual função positiva aquela emoção ou sensação está cumprindo : 0
  3. Pergunte-se o que é importante para aquela emoção ou sensação e o que pode fazer para atender aquele pedido.

Enfim, não mate o mensageiro! Receba-o, sorrindo!!!

 

Mais conteúdo sobre:

comunicaçãointeligencia coletiva