Navegar é preciso

Navegar é preciso

Claudia Miranda Gonçalves

03 de julho de 2015 | 11h55

scott and amundsen

Você se lembra de Amundsen e Scott?

Ambos tiveram uma meta: ser o primeiro homem a chegar ao polo sul. Um conseguiu chegar como primeiro e voltou bem. O outro chegou um pouco mais tarde, mas morreu na volta, congelando na Antártica. Antes de falar de o que isto tem a ver com “lentes de decisões”, vamos explorar porque Roald Amundsen venceu e Robert Falcon Scott perdeu.

Ambos tiveram condições quase idênticas.

Por vários anos, Amundsen se preparou para a expedição. Pedalou de bicicleta da Noruega até a Espanha para ficar forte e com bom condicionamento físico.  Depois, viveu um tempo no Ártico para aprender com os esquimós, a quem considerava os melhores mestres a enfrentar as condições a que se submeteria.  E quando iniciou a viagem, Amundsen levou quatro cachorros, não só como um termômetro importantíssimo de sobrevivência, mas como membros de sua equipe de expedição e provisionou comida de tal forma que ele e sua equipe poderiam sobreviver por um ano além do previsto para a expedição.

Scott, por sua vez, calculou os suprimentos de modo que fossem suficientes sem  acontecimentos imprevistos (mas é claro, ambos sofreram imprevistos). Em lugar de cachorros levou pôneis, que depois de pouco tempo começaram a suar e com isto morreram congelados logo nas primeiras semanas. Consequentemente a equipe precisava puxar os trenós.

Amundsen se preparou profundamente, aprendeu com os melhores, calculava o que poderia dar errado e planejou incluindo as precauções referentes. Por outro lado, Scott acreditava que tudo ia dar certo. Ele morreu congelado junto com sua equipe mais ou menos 10 km antes de chegar ao próximo campo de base.

Agora, o que isto tem a ver com você?

Se você não quer atingir metas ou metas grandes, que por sua vez precisam da atitude de tomar decisões – talvez nada.  Mas se tiver metas e precisa tomar decisões e isto incluindo/ procurando um bem estar na profissão, na família e no dia a dia, você está numa situação similar a Amundsen e Scott.

Bom, não se trata da sobrevivência radical como no caso deles, mesmo assim… Importa se preparar bem.

Decidir é uma arte e uma ciência.  Embora muitas vezes usemos padrões do passado para nos guiar numa decisão, não há garantias de que, o que funcionou no passado, vá funcionar no presente ou futuro.

Na tomada de decisão temos a interação de diversos elementos que se combinam para gerar bastante complexidade!

E nessa complexidade há diversos contextos, como ambiente e elementos externos, que podem afetar ou ser afetados pelas decisões. Podem ser o mercado, os concorrentes, os clientes, o meio ambiente, a legislação, quaisquer incidentes. Uma das descrições correntes mais utilizadas para caracterizar nosso contexto é a sigla VICA:

V– volátil: é a  natureza e dinâmica da mudança, natureza e velocidade das forças e dos catalisadores das mudanças;

I – incerto: refere-se à falta de previsibilidade, perspectiva de surpresas, consciência e compreensão de questões e eventos;

C – complexo: tem a ver com a multiplicidade de forças, mistura e confusão de questões que circundam a organização/ carreira/ vida;

A – ambíguo: a realidade nebulosa, mistura de significados e a confusão de causa-efeito.

Essa realidade pede novas formas de olhar, agir e pensar sobre o ambiente e sobre nós mesmos. E nossas decisões precisam de novas bases. O novo olhar para as decisões tem o desafio de navegar este contexto, onde precisamos acolher a ambiguidade, sustentar a complexidade, experimentar e iterar soluções.

É neste escopo que nasce este blog, que se destina a dar dicas e provocar reflexões em velhos e em novos problemas, partindo de uma perspectiva sistêmica, de pensamento complexo, explorando o nosso contexto.

Nossos fundamentos vêm de diferentes vertentes. Como funciona o ser humano individualmente e em grupo? Isto será explorado com base na teoria de sistemas e pensamento complexo e inclui novos conhecimentos de neurociência, biologia, sociologia e  física quântica.

Se você tem uma situação que quer olhar de maneira diferente, nos escreva! Pode ser uma questão empresarial, de carreira, institucional. Pode ser marketing, comercial, processo, conflito na equipe. Como dissemos, nós nos interessamos em oferecer um novo olhar para velhos e novos problemas/situações.

Nossos e-mails para contato:

e.humano@gmail.com

cornelia.benesch@gmail.com