Nosso check-up completo

Nosso check-up completo

Claudia Miranda Gonçalves

02 de abril de 2019 | 10h14

Vamos, agora, conhecer os 3 últimos exames necessários ao nosso check-up. Depois disso, vamos resumir todos os exames, de forma prática, para que você possa usar e abusar do nosso “tratamento”.

 

Exame 7: Cortex Frontal

A ciência nos ensina que nossas lembranças são primeiro codificadas no hipocampo (uma área do cérebro localizada entre os lobos temporais) e depois elas são transferidas para os lobos frontais para que sejam conservadas por mais tempo.  Esta “conservação de informação” é que nos ajuda a criar a nossa narrativa interna que, por sua vez, vai guiar nossas ações. O mesmo acontece na nossa vida profissional. Por exemplo, você já se perguntou de onde vêm as ideias que nos guiam nas tomadas de decisão? Não? Então eu explico: elas vêm das histórias que contamos para nós mesmos, repetidas vezes, e que consideramos verdadeiras ou falsas independente de provas concretas. Concorda? Pois é, mas sabe o que é mais importante nisso tudo? Saber que mesmo que tudo esteja bem organizado e planejado, as premissas que temos podem se invalidar quando o sistema gira. Se isto acontecer, você precisará se comunicar de forma diferente. Então, para se prevenir, é importante validar sempre as premissas. E não basta validar só com você. É preciso envolver   todas as pessoas deste sistema específico.  Por isso, este exame pede que você:

ARTICULE, COMUNIQUE E VALIDE AS HISTÓRIAS QUE VOCÊ CONTA PARA VOCÊ MESMO.

Para fazer isso, pergunte:

O que este feedback está me ensinando? Qual é a hipótese aqui? Quais são as maiores possibilidades sendo apontadas aqui? Temos aqui uma “nova história”?

 

Exame 8: Espirometria

Agora, vamos falar do sopro de vida: os propósitos. Nem precisamos nos alongar no tema, não é mesmo? Você já sabe a importância dos propósitos para nossa vida pessoal e profissional. Por isso, estamos relacionando este tema ao fluxo respiratório, este movimento que oxigena, mas que também expele. Essa corrente de vida que nos ensina muito sobre alinhamento e ressonância, exatamente como os propósitos.

Sim, é isso, o sopro de vida que tanto buscamos são nossos objetivos e propósitos. Simples assim. Então, o que devemos fazer, como quem respira fundo, é:

DEFINIR E REVISITAR OBJETIVOS E PROPÓSITOS

 E para fazer este exame, pergunte:

O que gravita em torno do nosso sistema? O que o deixa seguro dentro deste processo de rotação? O nosso foco está neste objetivo comum?

 

Exame 9: Biópsia

Nosso último exame é uma biópsia. Mas, não se assuste, entender o comportamento das células tem muito mais a ver com soluções (e cura) do que você imagina. Neste exame, precisamos detectar se nossas “células” estão se reproduzindo de acordo com o plano, se elas estão conectadas, se elas estão agindo de acordo com as suas funções, e, principalmente, se elas estão deixando de existir quando já não funcionam mais. É que, caso elas continuem por ali, tornam-se o que chamamos de tumor. Então, aqui, você precisa olhar para suas adaptações (respostas aos feedbacks) aos ambientes internos e externos e otimizar estas informações e aprendizados para que todos do sistema estejam focados na solução. Eficiente como entender as células do nosso corpo, não acha? Para fazer isto:

APRENDA A MUDAR COM BASE EM MENSAGENS INTERNAS E EXTERNAS.

E pergunte:

O que é relevante para otimizar o nosso DNA empresarial? O que usamos na nossa organização para garantir que o feedback entre os sistemas aconteça?

Agora que terminamos, é hora de ter em mãos todo o prontuário dos exames. Coloque-o em prática! Promova a saúde da sua empresa, sempre. E, mais uma vez, obrigada por acompanhar este prontuário. Aí vai o resumo de tudo o que conversamos neste período:

 

 Exame número 1: Fluxo de O2

CONECTE O QUE ESTÁ DESCONECTADO

Pergunte:

 Onde a informação não está chegando e por que este conhecimento não está sendo compartilhado?

 

Exame número 2: Fator anticoágulo.

 OS SISTEMAS SÃO IMPREVISÍVEIS.

Pergunte:

O que é preciso mudar já e qual é a menor ação que posso fazer para criar a maior mudança?

 

Exame número 3: Batimentos Cardíacos

CRIE CONDIÇÕES PARA O ENGAJAMENTO DE QUALIDADE.

Pergunte:

Quais são os nossos valores que sustentam esse engajamento e como posso influenciar o sistema acessando estes valores?

 

Exame número 4: Índice de anticorpos

REEQUILIBRE OS FLUXOS PARA CRIAR SUSTENTABILIDADE.

Pergunte:

Como estão nossas fronteiras? O que entra e o que sai está ajustado ao que o sistema precisa? Qual padrão precisa ser reforçado em benefício da sustentabilidade do sistema?

 

Exame número 5: Hemograma

ENXERGUE AS REDES EMERGENTES.

Pergunte:

Esta rede emergente responde a qual desafio? Ela precisa ser calada ou amplificada?

 

Exame número 6: Sinapses

OLHE, TAMBÉM, PARA O INTANGÍVEL E BUSQUE A COERÊNCIA NO CAOS.

Pergunte:

O que não está dito? O sistema está mais estável ou mais instável? Onde preciso agir para buscar o equilíbrio dinâmico?

 

Exame número 7: Cortex Frontal

ARTICULE, COMUNIQUE E VALIDE AS HISTÓRIAS QUE VOCÊ CONTA PARA VOCÊ MESMO.

Pergunte:

O que este feedback está me ensinando? Qual é a hipótese aqui? Quais são as maiores possibilidades sendo apontadas aqui? Temos aqui uma “nova história”?

 

Exame número 8: Espirometria

DEFINA E REVISITE OBJETIVOS E PROPÓSITOS

Pergunte:

O que gravita em torno do nosso sistema? O que o deixa seguro dentro deste processo de rotação? O nosso foco está neste objetivo comum?

 

Exame número 9: Biópsia

APRENDA A MUDAR COM BASE EM MENSAGENS INTERNAS E EXTERNAS.

Pergunte:

O que é relevante para otimizar o nosso DNA? O que usamos na nossa organização para garantir que o feedback entre os sistemas aconteça?

 

Tendências: