Perguntas para estimular a Intuição

Perguntas para estimular a Intuição

Claudia Miranda Gonçalves

20 de julho de 2021 | 11h30

Por Andréa Nery

Com um cenário adverso vimos acontecer uma digitalização inédita no país, foram quebradas muitas resistências, milhares de pessoas passaram a trabalhar remotamente e outras milhares descobriram formas diferentes de responder às novas condições que a vida lhes apresentou.

E a realidade é que o futuro também reserva mudanças exponenciais e repentinas onde as incertezas estarão sempre presentes. Imagine que cada vez mais estaremos conectados a tecnologia, as estruturas serão mais inteligentes, e os lideres precisarão se tornar especialistas em antecipar movimentos com base na realidade presente.

Uma mudança de paradigma que coloca o pensamento sistêmico no centro das atenções de quem deseja liderar as transformações necessárias para navegar neste mundo VUCA.

Neste contexto as relações são mais importantes que as partes, não dá para controlar ou resolver as coisas complexas é preciso conviver e lidar com as situações como se apresentam nos sistemas vivos.

Daí surge a importância de a liderança confiar em sua intuição e estimular a diversidade de pensamento em seu time como uma força motriz para seu trabalho e alcance de objetivos.

A intuição se torna uma ferramenta para lidar com cenários complexos e encontrar soluções adequadas em uma realidade caótica onde não se tem muita informação.

Porém, há muito tempo ela tem sido relegada a um nível de importância menor quando comparada com a racionalidade, e a grande maioria de nós desaprendeu a prestar atenção às mensagens de nossa intuição.

Se por um lado colocamos os dados para trabalhar para nós e extraímos deles cada vez mais informações valiosas para a tomada de decisão precisamos buscar o equilíbrio na intuição para fazer as perguntas certas e encontrar os caminhos mais alinhados com a situação.

Está no instinto e na experiência humana a capacidade de entender o porquê das coisas e descobrir como usar os insights estrategicamente.

Este conhecimento intuitivo é explicado por Antonio Damásio, médico e neurocientista, como um mecanismo de pré-seleção que traça uma linha reta para a solução do problema sem passar por fases intermediárias e que ocorre abaixo do nosso limiar de consciência.

Um conhecimento que está dentro de todos nós, embora nem todas as pessoas saibam utilizá-lo, fundamentalmente baseado em experiências passadas e em emoções e expresso principalmente através de sensações corporais.

Desenvolver a capacidade de olhar para dentro e se conectar com os sentidos é possível por meio de técnicas, como o treino da habilidade no uso de imagens e símbolos, a aquisição de uma postura mais reflexiva e o trabalho com sua capacidade sensorial.

Para estimular e despertar a intuição na liderança realizo trabalhos que usam a arte, a poesia, a música e também aplico técnicas sistêmicas usadas na teoria U e nas constelações para observação e escuta do corpo.

Para experimentar a tomada de decisão conectada a sua intuição imagine uma situação difícil que está passando e observe seu corpo:

– Que sensação física está experimentando no seu corpo neste momento?
– O que esta sensação lhe provoca? O que ela está dizendo?
– Que movimento seu corpo pede? Qual a primeira palavra que vem a sua mente?
– O que você precisa fazer para atender a esta sensação física?

Responder a estas questões pode trazer insights interessantes para a ação.

No começo é bem desafiador, é preciso silenciar os pensamentos internos e os julgamentos para perceber o corpo para se conectar emocionalmente e ouvir a voz interior, mas a persistência trará as primeiras respostas e você será convidado a confiar pois nem tudo terá uma explicação lógica.

Somos todos pessoas intuitivas, ouse e vai perceber a importância deste elemento para navegar nas situações e tomar decisões mais alinhadas em meio a grande complexidade.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.