Porque a humanização é o único caminho!

Porque a humanização é o único caminho!

Claudia Miranda Gonçalves

16 de novembro de 2021 | 16h27

Por Andréa Nery

Que delícia ver outra vez nossa bandeira circulando pelo autódromo de Interlagos e a torcida vibrando em sintonia. Uma marca do retorno aos encontros e da possibilidade de sentir a emoção do pulsar forte da nossa união.  Entender novamente o que é capaz de contagiar cada um e a todos ao mesmo tempo.

Que alegria ver as famílias, os amigos, as equipes se reencontrando, se reconhecendo e retomando a criação de vínculos de uma forma diferente.

Podemos parecer os mesmos, mas estamos completamente diferentes, topamos com nossas sombras e excessos, e mudamos nossa relação conosco mesmos, com os outros e com a Terra.

Nosso desafio como humanidade nos fez reativar as qualidades do coração!

E alinhado a isso, vemos fortalecer uma visão de negócios mais coerente, que exige das empresas, colocar seus esforços e atenção não só nos resultados, mas na ampliação da percepção de que fazem parte de um ecossistema maior, e por isso precisam atuar em sintonia com o planeta e com a sociedade de forma transparente.

Não desejamos voltar a ambientes de negócio opressores, a fortes estruturas de comando e controle, a relações de abuso e exploração.

E por isso já declaramos em pesquisas a possibilidade de buscar empresas onde a cultura nos dê a liberdade de ser quem somos, e já vemos algumas organizações que intensificam a busca por mudanças que promovam a retenção de seus talentos e as torne ESG (i).

Das pistas de corrida às organizações, o que estamos vivendo é uma humanização de todas as relações. Uma busca pela integração que se fará cada vez mais necessária a medida que mais e mais trazemos a tecnologia para a realidade do dia a dia.

Enquanto a tecnologia amplia as possibilidades, dá velocidade e escala, a humanização integra e conecta o coração, fazendo a diferença para nos sentirmos parte, potencializarmos a colaboração, e experimentarmos a vibração que nos faz vivos.

A Mercedes traz alta tecnologia para as pistas, mas observem o que fez a diferença para levar Hamilton e Leonardo, ao pódio: um forte trabalho em equipe, uma escuta empática, uma liderança compartilhada e um piloto com propósito, resiliência, coragem e entusiasmo.

Combinação que fez a torcida vibrar a cada volta, a cada ultrapassagem e comemorar a vitória de um inglês, negro, no país do futebol. Tudo maravilhosamente junto e misturado, como tem que ser!

E nas empresas não será diferente, a cultura digital também terá que ser a cultura humanizada, antigos padrões abandonados e mergulho no incerto com a intenção de tecer a rede de conexões e gerar a coerência que permite lidar com a complexidade.

O único caminho!

Falamos de empresas, que serão capazes de responder aos desafios orientadas por um forte propósito, integrando suas capacidades, metas e motivações de forma clara e transparente.

E que elevarão seu nível de consciência através de uma liderança guiada pelo coração, que entende e trabalha de forma colaborativa, valoriza as diferenças, tem uma escuta generativa e se fortalece no seu propósito individual para agir.

Ansiamos por mais oportunidades de vibração e sintonia, não só nos esportes, mas na nossa vida real, no nosso dia a dia, em todas as situações.

Uma mudança que vai começar em nós, teremos que fazer escolhas claras e alinhadas com o que realmente desejamos, aceitar nossa vulnerabilidade e acolher cada história e contexto, convidar nossa mente a buscar respostas escutando o coração.

Escolha com quem quer estar, o que quer nutrir, onde quer colocar sua energia, não existe o impossível, comece agora por uma coisa que desejaria ver diferente, pequena ou grande, pergunte ao seu coração e aja!


(i) ESG – Sigla em inglês que significa E (Environmental) – Ambiente, S – Social, G – Governança

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.