Provocações

Provocações

Claudia Miranda Gonçalves

03 de agosto de 2022 | 12h04

Por Andréa Nery

As pessoas que estão mais próximas sabem que sou observadora e que tenho facilidade de correlacionar fatos e olhar sistemicamente para as situações. Sou curiosa e gosto de provocar reflexões, e fazer perguntas que ajudam a desconstruir e tirar da zona de conforto. No início da minha carreira nem sempre soube usar estas habilidades, mas o tempo foi mostrando como fazer para que as provocações se tornassem uma fonte rica de desenvolvimento.

Hoje, diante de tantas incertezas percebo que uma pergunta bem elaborada, no momento certo, pode interromper um ciclo vicioso de ação, mudar o movimento e a qualidade dos sentimentos e emoções que nos mantem presos ou nos paralisam.

Pensando nisso trouxe algumas situações que têm aparecido com frequência no meu trabalho e junto com elas uma “chuva” de perguntas para você encontrar novos caminhos.

Permita-se ser provocado!

Provocação 1 – sobre a agenda

Iniciamos o segundo semestre e a agenda vai ficando cada vez mais movimentada. As sementes que plantamos no início do ano começam a brotar e junto com ela parece que algumas ervas daninhas também vão tomado conta do terreno.
Dar conta dos compromissos e ainda manter saúde mental parece incompatível… e no desejo de fazer dar certo assumo mais compromissos.

O que é realmente importante para você agora? O que você quer? Ao dizer sim para tudo, para que você está dizendo não?

Provocação 2 – sobre mudanças

Estamos correndo contra o tempo, tudo parece caminhar bem, pressão e expectativa para transformar ideias e sonhos em realidade. Uma mudança inesperada no mercado e nas condições iniciais interrompe os planos.
Preciso lidar com as frustrações ao mesmo tempo que repenso a estratégia diante de um novo cenário incerto. Não consigo sair do lugar.

O que está sob seu controle e poder de ação? No longo prazo, o que deseja alcançar? Qual o primeiro passo possível neste momento?

Provocação 3 – sobre motivação

Sinto que está cada vez mais difícil seguir com a rotina, não tenho motivação e cada mudança me faz questionar se estou mesmo fazendo o que deveria. No final do dia não tenho entusiasmo para fazer mais nada e muitas vezes evito estar com amigos e familiares por me sentir sempre cansada(o).
Não tenho energia para buscar outras coisas.

Quando tudo for como você deseja o que terá mudado? Como pode olhar para isso com novos olhos? Qual é uma pequena coisa que você pode fazer diferente hoje? Você precisa de ajuda?

Provocação 4 – sobre fazer junto

Temos um grande desafio pela frente que ninguém consegue solucionar sozinho. Mas cada um segue defendendo suas ideias e envolvido com iniciativas isoladas. O clima fica tenso sempre que as pessoas se reúnem, ninguém consegue ter clareza ou falar abertamente das questões que incomodam.
As pessoas ficam cada vez mais desmotivadas e o desafio parece só aumentar.

Como a equipe está aproveitando as diferentes experiências para solucionar o problema? Por que isso é importante? Como a equipe quer lidar com isso? O que não reconheço no outro?

Provocação 5 – sobre expectativas

Gosto do que estou fazendo, mas me sinto muito sobrecarregada(o). Todos precisam de mim e sigo recebendo novas responsabilidades. A ansiedade está presente com frequência e isso prejudica minhas entregas e meus relacionamentos.
Sempre acho que não estou atendendo as expectativas.

O que você está assumindo? Qual a clareza que você possui do que é esperado? Qual a sua necessidade que provoca esta emoção? O que está impedindo você de confiar em você mesma(o)?

Provocação 6 – sobre excelência

Há algum tempo venho realizando trabalhos onde sou reconhecida(o) pela excelência, mas observo que cada vez que sou desafiada(o) a fazer algo novo sinto muita insegurança com os resultados e me preocupo em como as pessoas vão me julgar.
Isso tem prejudicado a forma como me envolvo nas coisas. Me percebo procrastinando.

O que você faria se fosse 100% mais ousado? E o que mais? E o que mais? O que seria diferente se você estivesse começando agora?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.