Tapinhas nas costas

Claudia Miranda Gonçalves

15 Janeiro 2019 | 11h20

As pessoas não querem estar perto de quem está começando

Vai começar a empreender? Não espere tapas nas costas

 

Flavia Ferrari

 

É um fato, as pessoas querem estar ao lado de pessoas vencedoras e não tem nada de errado com isso. É que começar algo novo ou recomeçar é chato, doloroso, desconfortável e por instinto, as pessoas fogem de tudo que os deixa desconfortáveis. Então é muito mais gostoso pro nosso ego quando estamos ao lado de pessoas que sabem o que estão fazendo, quando estamos em um ambiente que satisfaz nosso ego.

O que isso tem a ver com empreender? Tudo. Você precisa saber que haverá pouco ou talvez nenhum incentivo. Se você está saindo da sua zona de conforto então (como o emprego dos sonhos de todos os seus colegas), menos apoio ainda. Simplesmente porque as pessoas não gostam de estar ao lado de quem está sofrendo para aprender algo, quem está errando e acertando e errando de novo e de novo …

Todo começo de algo diferente é complicado, difícil, e ter um negócio – mesmo que você já tenha tido outros – vai envolver riscos, erros e acertos. Porque você pode saber algumas coisas sobre empresas, mas sempre haverá um cenário diferente para te testar.

E estar ao lado de quem está errando gera nas pessoas o senso de realidade, o desconfortável, os lembra de que todo mundo tem coisas que não sabe fazer e que a gente só aprende fazendo e errando. E quem quer se sentir desconfortável? Poucos!

Quando saímos do mundo corporativo para nos envolvermos na vida empreendedora, num primeiro momento, nos sentimos perdidos sem o sobrenome da corporação que nos protegia até então. É difícil encarar a vida e sentir que algumas pessoas do nosso círculo de convivência chegam até a nos evitar. Porém, pouco a pouco, nossa identidade própria é construída. E não há satisfação maior do que construir sua reputação, sua marca, seu próprio sobrenome.

Esse medo de só ser reconhecido como boa profissional por ter uma empresa por trás de você vai continuar existindo, mas pode ser amenizado se você se tratar sempre como uma marca. Faça seu nome além da empresa, torne o seu nome forte, faça os seus contatos de networking reconhecerem você por quem é e não por ser funcionária de uma empresa X. Desse modo, quando sair par empreender ou recomeçar uma nova marca, ainda continuará sendo você.