Transformação Digital e o Espaço do Humano

Transformação Digital e o Espaço do Humano

Claudia Miranda Gonçalves

09 de maio de 2019 | 15h00

Por Andrea Nery

 

Nos últimos 2 anos, trabalhando para uma empresa de vendas de soluções analíticas, realizei apresentações de soluções em transformação digital (TD) para os mais variados setores. Todas estas empresas estão trabalhando no desenvolvimento de estratégias de negócio para incorporar as técnicas de inteligência artificial (IA), e machine learning (ML), sempre desembocando na “tal” Experiência do Cliente (UX).

O tema tem um grande potencial disruptivo para qualquer negócio, e definitivamente tem que estar na pauta de todas as empresas que pretendem seguir relevantes nos próximos anos!

São necessários investimentos em tecnologia e infraestrutura; o uso dos dados requer atenção especial de diversas áreas da empresa para garantir a conformidade com as leis de proteção; a solução tem que ser flexível para atender rapidamente às mudanças, cada vez mais frequentes, do mercado consumidor. E entre tantas outras coisas, a TD transforma a forma como cada indivíduo se relaciona com absolutamente tudo que está a sua volta!

Frequentemente participo de eventos que se propõem a apresentar este tema e discutir implementações de sucesso. Nestes eventos, o mais comum é encontrar painéis abordando ferramentas, investimentos e demonstrações, raramente são abordados aspectos da implementação da estratégia relacionados a transformação das pessoas.

As pessoas passaram a compartilhar cada vez mais informações sobre elas mesmas, sua localização, seu comportamento de compra, seu gosto…   Esta experiência de compartilhamento transforma o indivíduo e ele passa a atuar de um novo lugar. Porém, ao dar uma menor importância à transformação das pessoas, corre-se o risco de desenvolver uma estratégia que não seja dinâmica e robusta para sobreviver ao tempo. Se o objetivo é alcançar resultados efetivos e sustentáveis ao longo do tempo, é importante que as empresas tenham um olhar mais sistêmico e atuem de forma mais integral.

Faço aqui um convite para que você siga esta leitura, com um olhar crítico e questionador e que promova ricas discussões sobre as formas de envolvimento das pessoas para que o processo de transformação seja menos frustrante.

Você já parou para pensar que a tal UX, nada mais é que a sua própria experiência? Que qualquer projeto hoje que trabalha a transformação digital, vai afetar em primeiro lugar sua relação com algum elemento do seu dia a dia?

Os lideres à frente destas transformações tecnológicas precisam refletir sobre como estão conduzindo suas estratégias, precisam se dar conta de que seguir usando as mesmas formas de comunicação, treinamento, comprometimento e engajamento não será efetivo para esse novo momento transformador que se dá não só da porta para fora, mas também da porta para dentro.

O indivíduo, a partir de seu comportamento alterado, passa a exigir das empresas, e de seus lideres, que sejam tratados de forma única e exclusiva, que suas características e necessidades sejam consideradas, e que sejam envolvidos em estratégias dinâmicas, tanto dentro de casa quanto fora.

Não será possível alcançar resultados efetivos e sustentáveis sem uma abordagem equilibrada, que inclua os atuantes do sistema, que trate a complexidade de uma forma simples, e que respeite a base que permitiu a execução destes processos.

Precisamos sim, discutir mais sobre isso!

– O que os lideres, à frente destas empresas, precisam para estar preparados para conduzir a implementação desta mudança?

– O que precisa ser reavaliado, no modelo de gestão de mudança conhecido, para atender o entorno tão distinto e desafiador?

– Como podem ser incorporadas as alterações do comportamento das pessoas para que a estratégia tenha um resultado efetivo, rápido e duradouro?

– Como promover um nível de engajamento que traga um retorno do investimento rápido?

– Que alterações são necessárias nos treinamentos para promover um aprendizado rápido e efetivo que acompanhe as necessidades deste novo entorno?

E aí? Isso fez sentido pra você?

___________________________

Andrea Nery

Coach, mentora, executiva mercado financeiro, mestre em estatística, continuamente em busca de desafios de transformação.

O essencial é invisível aos olhos. Só se vê bem com o coração

ALNery.Coach@gmail.com

 

Tendências: