Você está trabalhando para a organização certa?

Você está trabalhando para a organização certa?

Claudia Miranda Gonçalves

01 de outubro de 2019 | 10h00

Por Livia Zillo

Você tem certeza de que está trabalhando para a empresa certa?

Talvez você tenha acabado de começar um novo emprego. Talvez já trabalhe nessa empresa há um tempo, mas tem algo que não lhe deixa sossegar, um sensação que não lhe deixa em paz.

Você pode estar sem ânimo para ir para o trabalho, ou procrastinando suas tarefas, talvez até esteja evitando aquele happy hour com seus colegas, e tudo parece um pouco sem propósito.

Bom, seja lá qual for o seu caso, aqui vão 7 indícios que talvez você esteja trabalhando na empresa errada.

  1. Você não acredita no que a empresa faz. O salário é bom, os benefícios também, mas o que a empresa faz não lhe faz brilhar os olhos. O produto que você vende não lhe agrada e até mesmo os padrões éticos da empresa não atendem aos seus. Acreditar na empresa e vestir a camisa é essencial para a sua felicidade, então, se isso não está acontecendo, talvez seja hora de repensar essa experiência profissional.
  2. Seus talentos são desperdiçados. Você é o melhor em vendas, ou em relacionamento com os clientes. Você é o melhor em motivar a equipe e engajar o seu pessoal. Ainda assim, a empresa não lhe dá autonomia, ou não usa suas características mais fortes para crescer e prosperar, e você se sente enrijecido e desacelerado. Esses sentimentos geram frustração ao longo do tempo e esse é o momento de repensar.
  3. Você perdeu a paixão pelo trabalho. Sair da cama todo dia para enfrentar o trabalho está sendo cada vez mais difícil? Não há prazer nos novos desafios, e você fica contando as horas pra ir embora?  Se isso está acontecendo com você, está na hora de se perguntar: sou eu quem perdeu a paixão pelo que faço ou é a empresa que está deixando de me dar o que preciso para amar meu trabalho?
  4. Você descobre um teto baixo sobre você. Você aceitou esta vaga porque ela era cheia de desafios e você tinha um longo caminho pra seguir nessa companhia, se desenvolvendo e crescendo, mas ao começar seu emprego percebeu que as chances de subir em sua carreira nesta companhia são muito limitadas. Se o seu desejo é ser um foguete, talvez essa empresa não seja a melhor pra você.
  5. Você deixa de admirar as pessoas acima de você. Sim, isso acontece. E muito. Aquele seu gerente ou diretor, deixa de ser alguém para se espelhar ou aprender. Você começa a imaginar como seria ter outra pessoa no lugar dele, e até mesmo o que você faria diferente naquela posição. O ambiente é inundado por críticas e fofocas, e sim, é a hora de partir para um novo desafio.
  6. Você não tem a menor ideia do que está fazendo. Colocaram você em uma posição que não combina com as suas habilidades, ou o gerente da área não sabe nem o que fazer com você. É insustentável trabalhar sem um propósito, ficar passeando pelo dia todo dentro da empresa sem ser útil de fato. A sua conta do Instagram nunca teve tantas postagens. Sim, é o momento de dizer adeus.
  7. Você tem aquela pulga atrás da orelha. Sim, você sabe do que estou falando. Aquela inquietação, aquele incômodo. Aquela vontade de ser desafiado, de ter pessoas para gerir, projetos complexos para tocar, ter espaço pra poder fazer a diferença. Se essa inquietação está fazendo parte do seu dia-a-dia, é o momento de reavaliar se você está mesmo no lugar certo. 

 

Os 7 indícios acima provavelmente  aparecem caso ou o indivíduo, ou a empresa, não tenham refletido sobre temas como propósito, olhar sistêmico (que olha o todo e todas as relações), visão de futuro, felicidade e wellness no trabalho.

Tenha em mente que ter clareza de seu propósito e de sua visão do futuro são essenciais para refletir sobre indícios acima e, às vezes, vários se somam para lhe mostrar que essa empresa não mais atende às suas motivações pessoais e profissionais. 

É possível ter felicidade no trabalho, levantar da cama animado e encorajado para mais um dia colocar sua habilidades em uso para um bem maior: a prosperidade da organização.

Tendências: