A atração do livro

Marili Ribeiro

09 de fevereiro de 2010 | 21h10

Os livros estão em desuso, ou pelo menos é essa ideia que os amantes do mundo digital querem fazer prevalecer. Mas a imagem de uma biblioteca ainda causa reverência. É com ela que a Universidade Cruzeiro do Sul quer chamar atenção dos usuários que utilizarem a passarela de acesso à estação de trem Hebraica-Rebouças, em Pinheiros.

A partir de amanhã, dia 11, o túnel de acesso será envelopado com imagens de duas estantes de livros com 52 metros de comprimento. A ação é parte da campanha criada pela agência Giovanni+Draftfcb para impulsionar as inscrições do vestibular de 2010, na unidade Pinheiros da Universidade Cruzeiro do Sul.

Haverá outras peças publicitárias na campanha, mas a graça desta está no efeito que já provocou no dia da instalação experimental na estação. Algumas pessoas se sentiram atraídas a passar a mão na parede, num gesto comum de quem vai pegar um livro. É a irresistível atração que o livro exerce. Será que vai mesmo acabar quando os leitores eletrônicos dominarem o cenário?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.