Com 60 prêmios, Brasil supera 2010

Marili Ribeiro

22 de junho de 2011 | 07h53


Marcos Medeiros, diretor de arte da AlmapBBDO, faz pausa para um refresco, depois de dias de trabalho como jurado na seleção dos melhores anúncios impressos do mundo. O Brasil conseguiu 20 Leões. Liderou a categoria.

A boa performance do Brasil em anúncios impressos, que tem sido uma tradição, garantiu a superação da boa atuação do ano passado, quando o País saiu de Cannes Lions com 58 estatuetas em forma de Leões. Foi a categoria em que o País mais conquistou prêmios. E, graças a ela, o Brasil já atingiu 60 Leões.

Na oficialização dos prêmios agora pela manhã na costa francesa, os profissionais de propaganda e marketing brasileiros ganharam 20 Leões em Press Lions, um em Cyber Lions e mais cinco em Design Lions.

Para se ter uma ideia do ritmo alucinante da circulação de informações, no dia anterior, publicitários especulavam que o Brasil, pela primeira vez, teria uma péssima atuação em Press. Não foi o que se confirmou. Os profissionais do meio brilharam mais uma vez e lideraram, inclusive, a lista dos premiados globais na categoria.

Em Cyber, eu cometi um erro. Avaliei que as chances do Brasil eram precárias com apenas dois trabalhos na lista preliminar. O Brasil emplacou um Leão de Prata para o trabalho em mídia online, desenvolvido pela turma da agência de propaganda Loducca ,para o cliente Red Bull. É a peça que convida as pessoas a montarem uma espécie de Whikipedia da arte na rua dos quatro cantos do mundo.

Em Design, o Brasil obteve dois Leões de Ouro, um de prata e mais dois de bronze. No total, o País já conquistou cinco troféus de ouro.

Há 14 chances de prêmios em Film Lions

O placar brasileiro ainda pode aumentar. Há 14 comerciais na lista preliminar de filmes. Amanha o júri da categoria se reúne para escolher os vencedores.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.