Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

De olho em 2014

Marili Ribeiro

17 de agosto de 2009 | 10h53

A Copa do Mundo de Futebol ainda demora cinco anos para chegar ao Brasil, mas as empresas já começam a se movimentar para garantir espaços para suas marcas durante a competição. “Estamos atentos a todas as parcerias que possam potencializar nossos investimentos como patrocinadores globais da Fifa”, diz o diretor executivo da Visa do Brasil, Luis Cassio de Oliveira. A operadora de cartões de crédito fechou há dois anos um contrato de dez anos com a Fifa para patrocinar a Copa do Mundo. Embora não se divulgue valores, o mercado estima que cada cota valha hoje cerca de US$ 80 milhões.

O tamanho da mobilização que a Copa provoca é sintetizado por um especialista em promover eventos e “ativações de marca” – as intervenções para chamar atenção do consumidor em vários formatos e locais -, José Victor Oliva, diretor geral da Holding Clube, um grupo sete empresas no segmento. “Podemos fazer uma cálculo simples e básico”, diz. “Basta assumir que haverá cerca de 30 patrocinadores, entre oficiais e ?caronas? (que são os que se associam aos patrocinadores da Fifa). Se considerarmos que cada um deles fará, pelo menos, um evento em cada uma das 12 cidades sedes dos jogos na Copa, só aí teremos 360 possibilidades de ativações de marcas.”

Mais informações no Estado de hoje (“Empresas já começam disputa por 2014“) pág. B12.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: