Elas preferem a Taís…

Marili Ribeiro

03 de junho de 2009 | 19h46

Tais Araújo e Gisele Bündchen

Nos últimos tempos pipocaram pesquisas, livros, palestras, workshops e consultores especializados em abordar o universo da baixa renda. Todos se esmeram para entender os anseios desse consumidor que ganha menos de R$ 4.600,00 e soma quase 100 milhões de brasileiros. A força desse público levou empresas a criarem áreas voltadas a desenvolver produtos para eles, como as líderes em seus segmentos Coca-Cola e Nestlé. Em tempos de crise global, dizem que o mercado interno garantirá boa receita aos que souberem vender para as classes C,D e E. “Somos definitivamente um País de classe média”, pontifica André Torretta, sócio de uma consultoria dedicada a explicar os emergentes aos seus clientes. E, lógico, ele também autor de um livro sobre o tema: Mergulho na Base da Pirâmide. Entre suas constatações em campo, há observações que batem de frente com conceitos arraigados no marketing, como a tese do “consumo aspiracional”. Ou seja, que os pobres buscam aparência e valores dos que estão no topo. Um exemplo? As moças da periferia de São Paulo não tem por referência a top model Gisele Bündchen, tão presente nas campanhas publictárias, mas sim a atriz da Rede Globo Taís Araújo. Torretta achou apenas uma foto da modelo internacional contra centenas da atriz.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.