Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Futuro dos jornais

Marili Ribeiro

14 de maio de 2009 | 19h51

Pesquisa realizada em sete países junto a cinco mil entrevistados, a cargo da empresa de consultoria PricewaterhouseCoopers em parceria com a Associação Mundial de Jornais (WAN, na sigla em inglês), mostra que os jornais impressos têm futuro. Mais do que isso, a longo prazo há boas perspectivas de os consumidores pagarem pelas versões online, porque eles valorizam a credibilidade do trabalho jornalístico de apuração, análise e edição das notícias. É uma ótima constatação em meio a tanta informação negativa sobre o destino de empresas jornalísticas nos últimos tempos, com algumas delas fechando ou reduzindo seu porte à metade. O mais curioso, a partir dos dados levantados, é que numa situação hipotética em que haja a escolha entre ler um jornal disponível numa sala de espera ou ler notícias numa tela online no mesmo recinto, a maioria ainda prefira o meio impresso.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: