Jornal Metro chega a Santos

Marili Ribeiro

11 de dezembro de 2009 | 10h25

O jornal gratuito Metro, produto da sociedade entre o Grupo Bandeirantes, com 70% da joint venture, e a empresa sueca Kinevik (30%) controladora da marca Metro Internacional, passa a ser distribuído na cidade de Santos, em São Paulo. Serão 40 mil exemplares. Um executivo da empresa conta que o projeto da empresa, ainda não oficial, é expandir para mais sete praças, entre as quais Rio de Janeiro, Brasília, Recife e Curitiba, já no primeiro semetre do próximo ano. No total, o Metro pularia de 200 mil exemplares para 700 mil em 2010. Um crescimento e tanto.

Ele garante que o mercado publicitário tem gás para abosorver tal expansão, mesmo diante do “pibinho” do terceiro trimestre revelado ontem, já que as projeções otimistas falavam em crescimento de 2% no período e o Brasil teve que se contentar com modestos 1,3%. “No quatro trimestre a economia brasileira está bombando e temos feito edições especiais de até 500 mil exemplares às sextas-feiras quando o varejo precisa veicular mensagens publicitárias para estimular comprar nos fins de semana”, festeja ele.

O fenômeno dos jornais gratuitos sofreu um crescimento exponencial mundialmente, que foi ceifado, principalmente lá fora, pela crise financeira mundial. Em todo o mundo, o jornal Metro, a estrela na categoria, chegou a atingir 23 milhões de leitores diários. Dependente direta da receita publicitária, algumas edições sucumbiram por não conseguir cobrir os custos operacionais. O caso mais vistoso foi o da Espanha, onde a sueca dona do título Metro retirou o jornal de circulação. Ele era distribuído em sete cidades espanholas desde o ano de 2001.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.