Maturidade

Marili Ribeiro

27 de junho de 2009 | 12h46

O desempenho do Brasil este ano no Festival de Publicidade de Cannes dá sinais de vitalidade do negócio da propaganda, apesar de as inscrições terem sido mais modestas diante da crise global. Isso, pelo menos, na opinião do sócio e diretor de criação da AlmapBBDO, Marcello Serpa, um dos profissionais mais premiados do setor. Este ano, sua agência é uma das mais premiadas, com oito Leões, sendo três deles Ouro.

Serpa considera que entre os sete Leões de Ouro ganhos pelas agências brasileiras há , pelo menos quatro, que indicam maturidade dos profissionais do negócio no País.”Não são prêmios de jogadas espertas”, diz ele. As espertezas a que se refere são peças fantasmas, que nunca foram veiculadas efetivamente embora acolham uma boa idéia, e são feitas para ganhar prêmios e Cannes e dar visibilidade aos vitoriosos.

Na avaliação de Serpa, o case Mil Casmurros, que levou prêmio em PR Lions, não é um simples trabalhado de relações públicas. É uma ação complexa que mexe com comunicação em diferentes níveis. O mesmo acontece com o filme Cachorro-Peixe, que dá um Ouro ao Brasil numa subcategoria, a de anúncios parao setor automobilístico, que desde 1982 as agências brasileiras não ganhavam. O projeto das sandálias Havaianas, que criou uma marca brasileira global é outra ação de marketing efetiva e real que foi premiada. Assim como o case de programação de mídia que envolveu o jornal O Estado de S.Paulo numa ação inédita de mídia. Como dis Serpa, uma iniciativa que fez um veículo considerado antiquado trazer seu público para a internet para criar uma primeira página e depois recebê-la impressa em casa.

“São exemplos de Leões de Ouro bem merecidos. De produtos e serviços conhecidos dos consumidores. De veiculação efetiva, que demostram maturidade dos profissionais e do mercado brasileiro”, festeja ele.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.