Moma perde Leões conquistados no Cannes Lions

Marili Ribeiro

21 de julho de 2011 | 18h10


Anúncio da Moma Propaganda

Por falta de comprovação de que as peças publicitárias apresentadas na competição foram veiculadas em tempo hábil para participar da disputa este ano, a agência Moma Propaganda terá de devolver os dois prêmios conquistados na última edição do Cannes Lions.

A empresa organizadora do maior evento da publicidade mundial, a inglesa Emap, cancelou o Leão de Prata, obtido na categoria de anúncios impressos, e também o Leão de Bronze, na categoria outdoor. Os dois trabalhos eram parte de uma campanha que pretendia ressaltar o sistema de duplo controle do ar-condicionado presente em alguns modelos da montadora coreana Kia Motors. Esse sistema permite temperaturas diferentes dentro do mesmo veículo. Com isso, contempla gostos diferentes por mais ou menos calor.

Denominados Professor e Princesa, os anúncios se inspiram em tiras de história em quadrinhos, e brincam com a ideia de que as pessoas agem de uma maneira enquanto sonham com outros efeitos. Durante o festival, em julho na costa francesa, a campanha já tinha provocado comentários de que as situações reproduzidas eram polêmicas. Houve interpretações de que elas teriam apelo de assédio sexual. Nos EUA, a polêmica chegou a provocar uma enquete puxada por sites e blogs.

No Brasil, os sócios da agência Moma admitiram que as peças apenas estavam programadas para ser veiculadas e, para não prolongar mais a discussão, optaram por conversar diretamente com os organizadores do festival. Foi assim que, em comum acordo, optaram pela cassação das peças.

No site do Cannes Lions foi publicado comentário do presidente do festival, Philip Thomas, no qual ele explica: “As regras determinam que, se solicitadas, deverão ser oferecidas provas que as campanhas foram de fato veiculadas e foram legitimamente criadas para um cliente pagante. Apesar das várias conversas, a Moma Propaganda não ofereceu as evidências exigidas e, portanto, os prêmios foram cancelados”.

De seu lado, a agência brasileira divulgou comunicado sobre a perda de dois Leões, explicando por que desistiu de fazer sua defesa no caso: “A Moma Propaganda respeita a decisão do Festival de Cannes sobre a devolução dos Leões. Essa decisão foi tomada em conjunto com a organização do festival, sendo resultado de uma série de fatores e profunda análise. A agência optou por não prosseguir com sua defesa, tendo em vista diminuir a exposição de todos que, de alguma forma, foram envolvidos nesse processo”.

Recontagem: Brasil ficou com 66 Leões

Com a perda dos dois Leões que tinham sido conquistados pela Moma Propaganda, a contabilidade do Brasil na 58ª edição do festival passou a ser 66 Leões.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.