Nextel, fora do usual

Marili Ribeiro

04 de setembro de 2009 | 17h09

Nextel

Mais um filme da campanha da operadora de telecomunicações Nextel chega ao mercado. Desta vez , ele é protagonizado pelo neurocientista Miguel Nicodelis. Não é exatamente um garoto-propaganda óbvio, do tipo ator da novela em cartaz. Essa, aliás, tem sido a característica dessa série de anúncios criada pela agência Loducca. Eles procuraram personagens que viveram altos e baixos nas suas vidas e carreiras profissionais. Pessoas que fazem sucesso em sua área de atuação, porém nem sempre são foco de apelo do grande público. O que a mensagem publicitária quer representar com isso é a relevância das diferentes tribos que compõem a sociedade. Comportamentos distintos em ambientes complexos onde cada um tem seu estilo e jeito de encarar a vida. Os textos, embora escritos pela equipe de criação da Loducca, são baseados em fatos reais.

Com a assinatura “bem-vindo ao clube”, os comerciais da Nextel já foram interpretados por figuras como o estilista Reinaldo Lourenço, o artista plástico Vik Muniz e o empresário da moda Oskar Metsavaht. Um dos textos mais bem resolvidos é o encenado pela roteirista e escritora Fernanda Young. Agora será a vez de Miguel Nicolelis, que figura entre as 20 personalidades globais relevantes para o avanço tecnológico segundo lista da Scientific American.

Dirigido pelo cineasta Fernando Meirelles, o filme publicitário tem imagens feitas em cenários como os do interior do Piauí. O pesquisador brasileiro na propaganda faz um breve relato de seus avanços e conquistas na ciência e como isso se reflete no desenvolvimento econômico e sociocultural do Brasil. Nicolelis chefia um dos mais avançados laboratórios de neurociência do mundo nos EUA, que é o da Universidade Duke, na Carolina do Norte. Entre seus atuais temas de pesquisa estão estudos que sugerem uma ligação subterrânea entre males tão diversos quanto o Parkinson e a esquizofrenia. Ele tem sido muito solicitado por suas descobertas nessa área.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.