O nosso amanhã

Marili Ribeiro

16 de junho de 2009 | 18h55

quatro jovens Young Lions
AE/ Milena

A seleção foi dura. Foram 266 inscritos este ano e apenas 17 escolhidos. Eles vão ver de perto – e com todo o colorido necessário – o que é que o Festival Internacional de Publicidade de Cannes tem. Um evento que está na sua 56ª edição e continua fascinando tanto os jovens da profissão, como os figurões com anos de estrada. É lógico que ganhar troféus em forma de Leões é um atestado de competência que garante uma boa carta de apresentação junto a clientes. Afinal, o funil que elege as peças publicitárias é bem estreito. São mais de 22 mil trabalhos, dos quais entre 10% e 15% saem contemplados.
Desses 17 jovens publicitários que vão patrocinados a Cannes, oito terão de encarar uma disputa paralela no Festival, que é a competição Young Lions. Nela, e em duplas, esses profissionais, com mais de dois anos de carreira e menos de 29 anos de vida, desenvolverão peças para serem selecionadas por jurados. Eles criam em completo isolamento sobre um tema que é descrito na hora. A tarefa é tensa. Vão produzir filmes comerciais, anúncios impressos, desenvolver projetos de veiculação em diferentes canais mídias e também criar peças de propaganda online. Tudo em pouco mais de 24 horas.
Os quatro jovens acima, Marcelo Pignatari, Sandro Cachiello, Fabiana Manfredi e Rodrigo Janete formam duas duplas que representam o mercado publicitário do futuro. Os dois do meio disputam em programação de mídia. Os da ponta, vão ter que caprichar em Cyber, ou seja em criação de publicidade online. É uma grande responsabilidade. Em oito anos de existência da disputa em Cyber, as duplas que representaram o Brasil levaram a melhor em cinco. Mas não estão temerosos: “Já assumimos que vamos bombar”, brincam.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.