finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Par perfeito de evangélico, só no divino amor

Marili Ribeiro

11 de novembro de 2009 | 23h17

Se existe site para discutir às necessidades femininas, site para mães e também para o mundo gay, porque não um dedicado aos relacionamentos dos evangélicos. Sim, os adeptos desse credo têm comportamento diverso dos demais e, portanto não atendido pelos sites do gênero que proliferam na web. Eles oferecem possibilidades abertos e até namoros pessoas casadas. Os evangélicos, em geral, acreditam em casamentos que duram para sempre e onde não cabe infidelidade. Não não admitem a homossexualidade. Para atender essa demanda, a empresa francesa Grupo Meetic, que já administra no Brasil o site de relacionamentos ParPerfeito, criou o Divino Amor. Pode parecer ironia.Mas não é.

O site entrou no ar há menos de um mês e registra 1,5 milhão de usuários cadastrados, segundo informa a assessoria da empresa. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem mais de 26 milhões de evangélicos no País. Basta andar pela cidade de São Paulo para ver o crescimento exponencial desses templos de fé. Estatísticas projetam que o universo dos adeptos cresceu sete vezes apenas seis décadas. Um inegável sucesso de marketing.

O Meetic, presente no que chama de “mercado de relacionamento online” e presente em 22 países da Europa e América Latina, criou um serviço específico para os evangélicos que se diferencia dos outros já a partir do cadastro. Na hora de preencher o perfil, os usuários encontram opções compatíveis com o que acreditam. Também relacionam 30 opções de templos entre os credos evangélicos em vigor no Brasil para que os participantes se identifiquem.

E, mais um detalhes, para encontrar o par perfeito nesse site, o usuário paga pelo serviço de troca de informações. Logo, o dízimo da igreja pode ficar prejudicado, não?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: