As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Emprego público fica estagnado, mas DF ganha 25 mil servidores

Em 2014, 25 mil funcionários públicos ingressaram no Distrito Federal, um ritmo menor do que o observado em 2013, mas acima do desempenho geral dos Estados

Economia & Negócios

10 Setembro 2015 | 07h00

O emprego público ficou praticamente estagnado em 2014, acompanhando o ritmo mais fraco do mercado de trabalho brasileiro. Em todo o País, o saldo de vagas criadas no funcionalismo público ficou positivo em 15.424, um crescimento de apenas 0,17%, de acordo com a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) – um compilado sobre o emprego formal.

Isso não impediu um avanço expressivo em algumas regiões. Em números absolutos, o Distrito Federal continuou a empossar o maior contingente de funcionários públicos, apesar de ter desacelerado o ritmo em relação a 2013. Foram 25 mil novos servidores em 2014, um aumento de 5% em relação ao desempenho de 2013. Em termos porcentuais, o desempenho do DF só perde para o Amapá e Tocantins, que registraram avanços de 9,47% e 6,26%, respectivamente.

Como abriga Brasília, sede do governo federal e de diversos órgãos da administração pública, o Distrito Federal continua a ser terra do emprego público. Hoje, 523 mil, ou quase 18% da população do DF, trabalham no setor público, de longe o maior porcentual entre as unidades federativas brasileiras. O Estado de São Paulo tem o maior número de funcionários públicos – 1,7 milhão -, mas isso representa só 3,8% da população paulistana.

Vale a ressalva que a comparação usa como base a população total e não apenas aquela inserida no mercado de trabalho, conhecida como População Economicamente Ativa (PEA). Se fosse usada essa análise, o peso do emprego público no mercado de trabalho seria ainda maior, porque a PEA é sempre menor do que o total da população (não inclui crianças e idosos, por exemplo).

A forte presença de servidores no Distrito Federal também explica porque a região é a que apresenta a maior remuneração média do Brasil. Em geral, o setor público paga salários maiores os praticados nas empresas privadas.

O salário médio de um morador do Distrito Federal encolheu 2,14% em 2014, para R$ 4.480,30, mas ainda é quase o dobro da média nacional, de R$ 2.406,83.

Mais conteúdo sobre:

distrito federalemprego públicorais