Anbima considera alta do juro positiva para fundos de renda fixa

Nayara Fraga

11 de julho de 2013 | 12h57

Gabriela Forlin, da Agência Estado

SÃO PAULO – A terceira alta consecutiva da taxa Selic, para 8,5%, é positiva para os fundos de renda fixa, segundo Carlos Massaru e Robert Van Dijk, vice-presidentes da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

“Essa alta traz competitividade para alguns fundos de renda fixa e DI. E o ponto positivo é que a alteração veio dentro das expectativas do mercado, o que obviamente contribui para um cenário positivo. No patamar em que a Selic está, do ponto de vista do investidor, há uma adequação de alternativas, esse é o ponto”, diz Massaru, referindo-se à competitividade dos fundos de renda fixa frente à poupança.

Van Dijk comenta que existem sim oportunidades nos fundos de renda fixa, agora beneficiadas com o aumento da taxa básica de juros. “Há títulos de renda fixa que se situavam em taxas de juros reais de 1% a 2% ao ano, e quando olhamos as expectativas, eles podem dar rentabilidade em termos reais de 3% a 4% no rendimento líquido, agora mostrando-se mais competitivos”, comenta, mas acrescentando que isso depende da carteira dos fundos.

“Mesmo os DI, dependendo dos ajustes que tiverem na sua própria marcação a mercado, poderão apresentar retornos mais interessantes”, afirma.

Tudo o que sabemos sobre:

fundosrenda fixa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.