coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Bovespa está perto de perder posição de aplicação mais rentável no longo prazo

Yolanda Fordelone

19 de março de 2014 | 13h55

A máxima do mercado repetida diversas vezes por especialistas é que no longo prazo o investimento em ações tende a ser mais interessante do que o em renda fixa. Após 11 anos e três meses na liderança das aplicações financeiras, porém, a Bovespa está próxima a perder a posição para o CDI, taxa que baliza os investimentos em renda fixa.

Segundo a consultoria Economatica, que analisou o desempenho das principais aplicações desde o final de 2002 (início do governo do PT) até o dia 18 de março de 2014, durante boa parte do período analisado a melhor aplicação foi a Bovespa seguida pela renda fixa medida pelo CDI.

No período analisado quem aplicou R$ 100 no Ibovespa hoje teria R$ 409,60 já quem aplicou no CDI estaria com R$ 396,50. Ou seja, apesar de o IBovespa ainda ter rendido mais que o CDI, a rentabilidade acumulada atualmente está muito próxima, sobretudo pelo desemprenho da Bolsa desde 2008.

Das seis aplicações analisadas temos mais duas que deram retorno positivo ao investidor, o ouro com R$ 258,60 e poupança com R$ 234,70.

O dólar e o euro tiveram queda. O investidor que aplicou R$ 100 do dólar no final de 2002, hoje teria R$ 66,60 e quem aplicou no euro teria R$ 88,90.

Tudo o que sabemos sobre:

açõesbovespaCDIrenda fixa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: