Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Clubes de viagens prometem preços 50% mais baratos em hotéis de luxo

Yolanda Fordelone

20 de novembro de 2013 | 07h49

O cenário de “sol, sombra e água fresca” está mais próximo do brasileiro, acrescentando um quarto elemento: um alto desconto. É o que garante a série de clubes de viagem voltados ao mercado hoteleiro de luxo. Segundo o Zarpo, os descontos podem chegar a 50%. Neste clube há 600 mil inscritos.

Seja porque acabou de abrir e ainda ter baixa ocupação ou porque a temporada está em baixa, os hotéis utilizam os clubes para fazer ofertas para determinadas épocas e aumentar o número de hóspedes. Em alguns deles, as vendas por meio de clubes chegam a representar 20% da ocupação. Na outra ponta, os membros do clube recebem as ofertas por e-mail ou as visualizam no site do clube. Baseados no conceito de “last minute”, a lista de ofertas é dinâmica. Conforme os pacotes vão sendo comprados, as ofertas são retiradas e outras colocadas.

No leque de ofertas, há 600 hotéis cadastrados, com ofertas de hospedagem no Brasil e exterior. Conheça alguns deles na galeria abaixo, de acordo com ofertas disponíveis no Zarpo em 29 de outubro.

Segundo os clubes, a diferença para sites de descontos comuns, além da qualidade dos hotéis que anunciam, é o fato de o comprador já saber o dia da viagem. Em sites de desconto comuns, após comprar o voucher a pessoa tem de entrar em contato com a agência de viagens ou hotel e reservar certa data.

A qualidade segundo os clubes também conta, já que os hotéis parceiros são avaliados antes de realizarem a promoção. “Não necessariamente seguimos o conceito de estrelas, pois cada país tem seus próprios critérios de classificação”, comenta um dos sócios-fundadores do Zarpo, Eloi Déchery. Além do retorno do próprio associado do clube que se hospeda nos hotéis, para ter certeza da boa qualidade, os clubes ficam atentos sobre a fama do local em sites famosos de viajantes, como o Trip Advisor, e em guias especializados em turismo.

Francês, Déchery conta que já estava no Brasil quando resolveu lançar o clube, juntamente com dois sócios europeus. A ideia veio da Europa, mas algumas adaptações precisaram ser feitas para o mercado brasileiro. “A oferta de pacotes, com tudo incluído, não é algo tão comum na Europa”, diz.

A participação nos clubes é gratuita, mas, no intuito de oferecer um conceito de “exclusividade” aos membros, alguns deles como o Zarpo são fechados. O consumidor pode ter um pouco mais de trabalho porque para participar você deve ser convidado por alguém que já é associado, por meio de um e-mail. Ou seja, deverá buscar alguém que já participe e pedir o convite caso esteja interessado. Segundo o Zarpo, o fato de ser fechado gera uma maior confiança para o hotel na preservação da sua imagem.

Em outros, porém, como o Hotel Hoje, a participação é mais simples. Basta fazer a busca da cidade escolhida e quantidade de dias no próprio site do clube e verificar quais são as ofertas do “último minuto”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: