Em pesquisa, 12% afirmam que não conseguiriam viver sem parcelar compras

Em pesquisa, 12% afirmam que não conseguiriam viver sem parcelar compras

O parcelamento de compras se tornou algo fundamental para a vida do brasileiro, segundo um estudo do Meu Bolso Feliz

Yolanda Fordelone

23 de maio de 2014 | 12h00

O parcelamento de compras se tornou algo fundamental para a vida do brasileiro, pelo menos para 12% deles. Segundo um estudo do Meu Bolso Feliz, uma iniciativa de Educação Financeira do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), 45% dos brasileiros não veriam problema em viver sem crédito e ter de pagar tudo à vista, mas 12% acreditam que só conseguem comprar tudo que precisam com a ajuda de parcelamentos e empréstimos. Um dado se mostrou preocupante: 35% da população não consulta seu extrato antes de ir às compras.

Comprar à vista ou a prazo é uma dúvida bem comum, mas nem deveria ser, garante Luiza Rodrigues, economista do SPC Brasil. “Pagar algo à vista sempre vale a pena porque a pessoa não pagará juros, pode ter algum desconto e garante maior controle de seus gastos”, avalia. A SPC reuniu algumas sugestões de quando fazer (ou não) compras a prazo.

1. Abra os olhos com compras na internet e passagens de avião. Em muitos casos, pagar pelo boleto pode sair mais barato do que pelo cartão de crédito. Você ainda pode conseguir até 10% de desconto.

2. Parcele apenas compras grandes, como um sofá, uma TV, um carro.  Faça isso de maneira cuidadosa sempre com perfeito controle de suas finanças e a certeza de que terá dinheiro para quitar todas as prestações. Mesmo assim, pense antes se você realmente precisa do produto agora; se não, considere esperar um pouco para comprar à vista ou dar uma entrada maior.

3. Utilize o parcelamento, também, em situações emergenciais. Digamos que você trabalha com computador, ele quebrou e não tem dinheiro para consertá-lo. Nesse caso, vale arriscar o pagamento em parcelas.

4. Evite acumular mais de três prestações ao mesmo tempo. Se você já está com muitas prestações acumuladas, pode se ver em apuros no caso de situações emergenciais, porque pode não ter mais limite para parcelar. Use as parcelas para as emergências, não para comprar tudo o que vê na frente.

(Foto: Stock Xchng)

Tudo o que sabemos sobre:

cartõesdívida

Tendências: