Fique atento ao prazo do Plano Collor II

Yolanda Fordelone

26 de janeiro de 2011 | 13h47

Se você investia na poupança no início de 1991 e se sentiu prejudicado com a mudança da forma de correção da caderneta, deve ficar atento ao prazo para exigir a diferença de valor causada pelo Plano Collor II. O prazo para ingressar com uma ação na Justiça vence segunda-feira (31/01).

Para entender

Entre janeiro e fevereiro de 1991 houve uma mudança na forma de correção das poupanças que prejudicou os poupadores. Os bancos pagaram 6,88% a menos de juros que o devido na época e só recorrendo à Justiça para reaver as perdas.

O Ibedec – órgão de defesa do consumidor – questionou e ganhou as diferenças em Ações Coletivas contra os bancos, mas o STJ – Superior Tribunal de Justiça recentemente decidiu que o prazo de prescrição para ações coletivas não seria 20, mas sim 5 anos. Entretanto, individualmente os poupadores continuam com o prazo de 20 anos para ingressar com ação, conforme o mesmo julgado do STJ.

Serviço

O Ibedec está disponibilizando ações individuais para seus associados, sem custo. Basta procurar um dos escritórios do IBEDEC em Brasília (DF), Goiânia (GO), São Luis (MA), Recife (PE), Fortaleza (CE), Cuiabá (MT), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS).

Para entrar com a ação só é preciso ter certeza do banco e de que tinha dinheiro depositado nesta época. Os extratos podem ser solicitados ao banco por escrito e mesmo que não tenham recebido o extrato, os poupadores podem entrar com a ação na Justiça.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.