Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Mais de metade das ações de educação financeira no Brasil está na internet

Yolanda Fordelone

15 de abril de 2014 | 13h33

pesquisa.JPG

A internet tem se tornado cada vez mais importante nas iniciativas de educação financeira. São ferramentas, blogs, cursos online e muita informação sobre os mais diversos temas. Um levantamento inédito da Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF) constatou que 50% das inciativas do tema têm alcance nacional, especialmente por terem a internet como um dos meios de acesso. Os números são do 1º Mapa de Educação Financeira no Brasil.

“Acredito que a internet é uma forma de atingir a população massivamente, principalmente os jovens”, explica o diretor de educação financeira da Federação Brasileira de Bancos (Febraban),  Fabio Moraes.

A pessoa física é o foco dos projetos de educação financeira (60%). Ações direcionadas exclusivamente a pessoas jurídicas representam apenas 1% do total. As mistas, tanto para a pessoa física como a jurídica, somam 39%.

Regionalmente, o Sul e Sudeste ainda dominam os projetos de educação financeira. Na ponta contrária, aparecem o Norte e Nordeste. “Apesar de receber fortes investimentos governamentais na área de inclusão social,  na parte financeira está atrasado. Apenas 3% das ações ocorrem ali”, diz a superintendente da AEF-Brasil, Silvia Moraes. A instituição foi a organizadora da pesquisa.

Acesso gratuito. Outro dado importante mostrado na pesquisa é que 60% das ações são gratuitas. Apenas 8% são pagas e 32% são mistas (parte gratuitas, parte pagas). Entre as oportunidade de projetos, Silvia aponta a educação financeira direcionada a públicos e locais mais vulneráveis, como idosos e a baixa renda). Além disso, aponta a especialização como maneira de diferenciar os diferentes públicos. A educação voltada a empreendedores também tem espaço para crescer, uma vez que a pessoa jurídica representa um pequeno público dos cursos e projetos do tema.

Tudo o que sabemos sobre:

educação financeira

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: