Quem precisa de conta bancária?

Tânia Rabello

24 de março de 2010 | 15h55

Saiu há pouco uma pesquisa do Instituto Fractal que diz que 92% de quase duas mil pessoas com renda menor de R$ 800 por mês não têm conta em banco. Para quem usa os serviços bancários é difícil imaginar como viver sem eles, não?

A mesma pesquisa mostra que essa fatia da população paga suas contas, faz seguro de vida, depósitos e outras coisas, por meio dos chamados correspondentes bancários. Os correspondentes mais ‘famosos’ são as casas Lotéricas e os Correios. Mas há também esse serviço em diversas lojas (como a Casas Bahia), padarias, farmácias e até bancas de jornal.

O estudo do Fractal calcula que em São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Brasília e Recife estão 625 empresas aptas a praticar as atividades de correspondente. E a tendência é aumentar cada vez mais esse total, não só para atender essa classe social que ganha menos de R$ 800.

Parece uma boa artimanha para diminuir as homéricas e entediantes filas de bancos, além de reduzir a nossa dependência das agências.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.