Operadoras de turismo reajustam dólar de pacotes de viagem ao exterior

Yolanda Fordelone

20 de agosto de 2013 | 11h33

Os pacotes de viagem ficaram mais caros nos últimos dois meses. Apesar de o preço, em dólar, não ter sofrido reajuste, a moeda se valorizou muito e ficou difícil para as operadoras de turismo segurar a cotação em patamares baixos. As agências, que em junho promoviam câmbio fixo entre R$ 1,99 e R$ 2,05, agora já chegam a negociar pacotes a R$ 2,52.

A Stella Barros havia fixado o câmbio em R$ 2,05 em junho. Atualmente, o pacote para Orlando (EUA), por exemplo, é negociado a R$ 2,52, segundo a cotação de 19 de agosto. Na Transmar, que também adotava o câmbio fixo de R$ 2,05 naquele mês, o dólar dos pacotes foi negociado a R$ 2,48. Ambas agora seguem o dólar do dia para vender seus pacotes.

A CVC foi a única das empresas consultadas a ainda adotar o câmbio fixo. Segundo a empresa, até julho foi possível deixá-lo em R$ 1,99 para alguns destinos como EUA e Caribe, o que se traduziu em aumento de vendas em 10% para o mês. Ontem, porém, as passagens da American Airlines tinham dólar cotado a R$ 2,09.

Veja também:

+ Saiba quais as opções para o turista não pagar caro

10 países cujas moedas se desvalorizaram, assim como o real

Turista poderá gastar até R$ 3 mil a mais em viagem

Nesta situação de dólar mais alto, o interessante para o turista é ao decidir o destino fechar o pacote em real e parcelara viagem. Veja o preço atual de alguns destinos.

disney.jpg

Destino: Disney (EUA)
Com passagens, 11 noites de hospedagem, alguns translados de compras e 3 jantares
Preço: 9x de R$ 924,84
Agência Stella Barros
Foto: Morgue File 

miami.jpg

Destino: Miami (EUA)
Com passagens, 4 dias de hospedagem e 4 dias de locação de carro
Preço: 10 x de R$ 286,51
Agência CVC
Foto: Morgue File

istambul.jpg

Destino: Istambul – Capadócia – Konya – Pamukkale e Kusadase
Com passagens, 8 noites de hospedagem e guia em português
Preço: a partir de US$ 3.245 em apartamento duplo
Grupo Transmar
Fonte: Divulgação

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.