finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Procon-SP: saiba como não se prejudicar pagamento de contas durante a greve dos bancários

Yolanda Fordelone

19 de setembro de 2013 | 09h38

bancofila_.jpg

Diante da greve dos funcionários dos bancos a partir desta quinta-feira, 19, a Fundação Procon-SP divulgou uma nota em que orienta o consumidor, para que ele não seja prejudicado. Para o diretor executivo do órgão, Paulo Arthur Góes, a paralisação é um risco previsto nas atividades de uma instituição financeira. Portanto, ela é responsável por possíveis prejuízos causados ao consumidor com a greve. Veja abaixo as recomendações:

1) Embora a greve não afaste a obrigação do consumidor de pagar faturas, boletos bancários ou qualquer outra cobrança, a obrigação da empresa credora é oferecer outras formas e locais para que os pagamentos sejam efetuados.

2) Para não ser cobrado de eventuais encargos e para que seu nome não seja enviado aos serviços de proteção ao crédito, a recomendação é que o consumidor entre em contato com a empresa e peça opções de formas e locais para pagamento, como internet, sede da empresa, casas lotéricas, código de barras para pagamento nos caixas eletrônicos, dentre outros.

3) O consumidor deve documentar esse pedido (enviar e-mail ou anotar o número de protocolo de atendimento, por exemplo), para que, caso o fornecedor não atenda à tentativa de quitar o débito, ele possa reclamar ao Procon-SP.

4) É importante que o consumidor não adquira, sem conhecer em detalhes, pacote de serviços oferecidos por bancos, voltados a facilitar a quitação dos débitos durante a greve.

Veja também:

Febraban lista canais alternativos à agência bancária

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

bancáriosgreve

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: