Sinal vermelho: identifique se é hora de se preocupar com o tamanho das suas dívidas

Yolanda Fordelone

24 de agosto de 2012 | 12h20

usoconsciente_1.jpg

Assumir dívidas para comprar produtos e utilizar serviços não é um problema, ao contrário do que se pode pensar. Comprar um imóvel à vista, por exemplo, é quase impossível atualmente em grandes cidades diante da valorização imobiliária dos últimos anos. O perigo do crédito reside em não controlar os gastos para pagar os compromissos assumidos.

Pensando no uso consciente do dinheiro, o Itaú Unibanco lançou um site sobre finanças. Com testes, vídeos e apostilas é possível entender a controlar as finanças. Entre as dicas, há uma lista de perguntas para serem respondidas pelo consumidor. Se a resposta for sim para uma dessas perguntas, fica atento: sua dívida pode estar se tornando impagável:

1) Você paga o valor mínimo da fatura do cartão de crédito há três meses ou mais?

2) Entrou no limite do cheque especial pelo terceiro mês seguido?

3) Usa mais de um terço do que ganha para pagar prestações?

4) Tem atrasado com frequência o pagamento de contas, por falta de dinheiro na data do vencimento?

Para limpar o nome

A cartilha também traz um resumo de como proceder caso já tenha pagado a dívida. Se o nome da pessoa estiver na Serasa ou SPC, quando o consumidor quitar a dívida o protesto é retirado automaticamente. Por lei, a empresa é obrigada a dar baixa na reclamação. Vale lembrar que cada dívida gera uma reclamação. Portanto, se a pessoa tiver vários protestos terá de pagar todos os compromissos para que fique com o nome limpo.

Em protesto em cartório, é preciso ir ao local solicitar o nome da empresa ou pessoa reclamante. A partir de então, procure o credor para pagar a dívida e solicite uma carta confirmando o pagamento. Ao apresentar a carta no cartório, o protesto deve ser retirado.

Tudo o que sabemos sobre:

consumodívida

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.