China vai a Nixon

Paul Krugman

18 de janeiro de 2011 | 15h18

Neste momento, a China está sofrendo um clássico caso de subestimação inflacionária. Em termos do diagrama de Swan, seria algo assim:

swan.png

Mas o governo chinês se recusa a considerar uma valorização monetária, em parte pelo poder político dos exportadores, em parte porque ele agora vê o desafio de cobranças americanas como uma maneira de defender o orgulho nacional, em parte porque, acredito, falta um claro pensamento macroeconômico nos altos postos do país.

A China vem tentando manter uma tampa sobre a inflação com a limitação do crédito – sem muito sucesso – e a imposição de controles de preços.

Quando foi a última vez que o governo americano tentou seguir uma política macroeconômica excessivamente expansionista enquanto usava controles de preços para suprimir a inflação? Nos anos Nixon.

É isso: o que estamos vendo hoje é um caso da China indo a Nixon. E isso não vai terminar bem.

Tudo o que sabemos sobre:

ChinacréditogovernoinflaçãoNixon

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.