finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Mervyn King adota o estilo Greenspan

Paul Krugman

18 de fevereiro de 2011 | 14h52

Ed Balls está certo: Mervyn King, presidente do Banco Central da Inglaterra, extrapolou suas funções ao se tornar o grande incentivador das atuais políticas do governo. Em matéria econômica, ele está errado – cortar despesas previstas antecipadamente é  a política errada no caso de uma economia ainda deprimida – mas este não é o ponto mais importante;  na verdade,  se você pretende ter um banco central independente, as pessoas que dirigem a instituições precisam cuidar para se manterem acima das contendas políticas.

Isso nos faz lembrar Alan Greenspan, que era um defensor ferrenho da disciplina fiscal – até que um republicano chegou na Casa Branca e ele,  de repente,  declarou que nós precisávamos cortar impostos para evitar uma redução muito rápida da dívida dos Estados Unidos. É muito triste ver Mervyn King, que sempre teve uma boa reputação, seguir o mesmo caminho.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: