Uma coisa que os EUA fazem direito

Paul Krugman

28 de outubro de 2010 | 16h16

Uma nota mais leve. Tenho viajado um bocado ultimamente, e andei pensando em por que tantos países – ou, para ser mais específico, tantos aeroportos de países – não conseguiram adotar um importante dispositivo produtivo amplamente usado nos Estados Unidos.

Chama-se mesa.

Quando você está passando pelo controle de segurança, tem de colocar o casaco, os líquidos, o computador numa bandeja para passar pelo scanner. E, em cada aeroporto (menos nos EUA) que estive recentemente, a coisa funcionava assim: você se aproxima da esteira rolante e há bandejas ali para você depositar sua tralha. Claro, isso significa que o tempo tomado para aprovar cada pessoa na segurança inclui o tempo que a pessoa gasta esvaziando seus pertences nos supracitados objetos, com o resto das pessoas esperando ociosamente em fila atrás de onde isso se passa.

O que tempos na América high tech – ou ao menos em Newark – é o seguinte dispositivo: uma mesa bem na frente da esteira rolante para que várias pessoas de cada vez possam encher suas bandejas, deslizá-las quando sua vez chegar, e passarem rapidamente pelo detector.

Sei que isso pode estar além da capacidade tecnológica de alguns países…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.