As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Reajuste salarial é maior no Nordeste, aponta Dieese

No primeiro semestre, o aumento médio concedido para os trabalhadores nordestinos foi de 0,72%, o mais elevado entre todas as regiões

Luiz Guilherme Gerbelli

27 de agosto de 2015 | 17h10

Os trabalhadores nordestinos foram os que mais se beneficiaram com as negociações salariais do primeiro semestre. Os números do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) mostram que o aumento médio concedido entre janeiro e junho foi de 0,72%, o mais elevado entre todas as regiões.

A última vez em que o Nordeste teve o maior aumento real médio foi em 2013 (1,33%).

No primeiro semestre, as cinco regiões tiveram redução no ganho salarial – o reajuste mais baixo concedido foi apurado no Centro-Oeste (0,17%).

Segundo o Dieese, a liderança do Nordeste pode ser explicada pela política de reajuste do salário mínimo. Em 2015, a alta foi de 8,8%. “No Nordeste o mercado de trabalho é menos estruturado e com um patamar de salário diferente. Ou seja, tem um contingente enorme de trabalhadores que ganha um salário mínimo ou próximo dele”, afirma José Silvestre Prado de Oliveira, coordenador de relações sindicais do Dieese.

Em todo o País, o balanço das negociações mostrou um ganho de 0,51%, o mais baixo desde 2008, quando tem início a nova série histórica do Dieese. A elevada inflação e a deterioração do mercado de trabalho influenciaram o resultado mais tímido.

Tudo o que sabemos sobre:

Dieesesalário

Tendências: