finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Um aeroporto de luxo no meio do deserto

marinagazzoni

11 de novembro de 2013 | 07h37

A paisagem do deserto vai se transformando na medida em que o novo aeroporto de Doha se aproxima. Pequenas árvores, ainda com estacas, começam a ser vistas na beira da estrada. Mais perto do aeroporto há grama verdinha e árvores grandes. O novo aeroporto da capital do Qatar, que deve ser inaugurado no ano que vem, mais parece um oásis no meio do deserto. O projeto recebeu investimentos de US$ 15 bilhões e representa a ambição do Qatar de ganhar relevância na aviação mundial.

Aos olhos leigos, o aeroporto parece estar pronto para começar a operar. O equipamento de raio-X já apita quando as pessoas seguem para a área de embarque. As telas que mostram os voos e as esteiras rolantes já estão ligadas. As placas de sinalização estão todas pintadas. E computadores da Apple já estão instalados em quiosques para acesso à internet. O Estado visitou o aeroporto no fim de outubro, durante a cerimônia de ingresso da Qatar Airways, a empresa aérea estatal do Qatar, na aliança de companhias aéreas Oneworld, realizada no local.

Batizado de Hamad Internacional Airport, o novo aeroporto de Doha começou a ser construído em 2005 para substituir o atual terminal, que recebeu 21 milhões de passageiros em 2012 e já opera na sua capacidade máxima. O projeto foi desenhado para ser um hub (centro de distribuição de voos) da Qatar Airways. O principal negócio da empresa é levar passageiros do Oriente para o Ocidente, um serviço que requer uma boa infraestrutura para conexões, ou seja, um aeroporto eficiente.

As obras atrasaram e a data de inauguração já foi adiada diversas vezes – a primeira estimativa era de que a obra estaria pronta em 2009. O CEO da Qatar Airways não divulga as razões do atraso. A imprensa local relata que falta de mão de obra na cidade e custos acima do estimados fizeram o projeto atrasar e trouxeram desavenças entre as construtoras envolvidas na obra e o governo do Qatar.
O complexo aeroportuário ocupa 22 quilômetros quadrados, um terço da área da cidade de Doha. Mais da metade da construção foi feita em um aterro sobre o mar.

A construção do aeroporto é só uma de uma série de obras feitas pelo governo do Qatar, um pequeno emirado no Golfo Pérsico que enriqueceu com a exploração de petróleo e gás. Com população estimada em 1,9 milhão de habitantes –metade na capital –, o Qatar é o primeiro colocado na lista da revista Forbes de maior PIB per capita (cerca de US$ 90 mil anuais). Tudo está em construção no País – estradas, metrô, arranha-céus e até ilha artificial.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.