Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Empresas aéreas buscam inovação na universidade

marinagazzoni

16 de abril de 2014 | 11h01

As companhias aéreas recorreram à academia para buscar inovação para o setor. Um convênio formado pela Associação Brasileira de Empresas Aéreas (Abear) e a Confederação Nacional do Transporte (CNT) liberou recursos para 30 bolsas para pesquisa sobre aviação.

Os pesquisadores poderão escolher entre cinco programas de estudo de temas considerados relevantes para o setor privado. Eles poderão estudar, por exemplo, melhores formas de usar os ativos aeroportuários, formas de reduzir a emissão de gases pelas aeronaves e métodos para aprimorar a definição da malha aérea pelas empresas.

Segundo o consultor técnico da Abear, Adalberto Febeliano, o Brasil ainda é carente de conhecimento para o setor. “Existe muito achismo sobre aviação no Brasil. Precisamos tomar decisões com base em dados reais e conhecimento técnico e não em sentimentos, disse.

Febeliano vê nas universidades uma oportunidade de trazer conhecimento ao setor que proporcione uma eficiência maior para empresas e e para o governo no uso da infraestrutura aeroportuária.

Para ele, a parceria entre a iniciativa privada e as universidades é relevante porque direciona o foco das pesquisas acadêmicas para temas que de fato são relevantes para o mercado.

Em uma primeira fase, o convênio entre a Abear e a CNT oferecerá bolsas de estudo a 16 alunos de mestrado, 9 de doutorado e 5 de pós-doutorado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: