Mais luxo que na primeira classe, só na suíte voadora
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mais luxo que na primeira classe, só na suíte voadora

Passageiro terá uma saleta com dois sofás, televisão de 32 polegadas, geladeira, banheiro com ducha e quarto com cama dupla. Com um mordomo exclusivo

nayarasampaio

12 de agosto de 2014 | 12h57

 

Um mordomo particular faz parte do pacote da suíte voadora (NYT)

LOS ANGELES – Com as viagens de avião mais desconfortáveis do que nunca, mostrei-me receptivo quando uma funcionária da Etihad Airways me viu no saguão da convenção da Associação Global de Viagens de Negócios recentemente e me conduziu em seguida ao balcão de demonstração do mais novo exemplo de luxo na aviação comercial.

Tratava-se da “Residence”, um suíte de três cômodos que a Etihad vai instalar nas seções de primeira classe de suas aeronaves A380 superjumbo, dos quais o primeiro deve entrar em operação no dia 27 de dezembro. A suíte de 11 metros quadrados é composta por uma saleta com dois sofás, uma televisão de 32 polegadas e uma geladeira, um banheiro com ducha completa e, no final do corredor acarpetado, um quarto com cama dupla.

Suíte tem 11 metros quadrados e três cômodos (NYT)

“Quero que os passageiros esqueçam que estão num avião”, disse Aubrey Tiedt, vice-presidente da Etihad para serviços aos hóspedes, que ajudou a criar o conceito e o design. A ideia é fazer o espaço parecer a suíte de um hotel, disse ela.

Um mordomo, Tomas Piroska, assistia a tudo discretamente usando luvas brancas e um terno elegante. “Também sou chef”, disse ele. “Do Savoy, em Londres”, disse Aubrey.

Ela parecia um pouco perplexa diante do quanto aquilo tudo parecia me divertir. Aubrey não sabia que, em meu mais recente voo, eu ficara espremido entre um homem suarento e uma mulher segurando um bebê que não parou de chorar. A ideia de uma suíte de três cômodos dentro de um avião me pareceu hilária.

“Não é apenas uma ideia excêntrica”, insistiu Aubrey. “Há um mercado para esse tipo de coisa.” Não tenho dúvida disso, levando-se em consideração que existe também um mercado para o novo jato Gulfstream G650, que custa cerca de US$ 65 milhões (e mais alguns milhões para equipar a cabine).

A Gulfstream vendeu 42 desses no ano passado e diz que a lista de espera dos pedidos chega a quatro anos. Existe até um mercado para a conversão privada de aeronaves comerciais como o A380, de dois andares, que tem preço de US$ 403,9 milhões antes da instalação do interior personalizado (Preço do interior? Mais de US$ 100 milhões).

Deixando de lado as aeronaves comerciais convertidas, 678 jatos de negócios modelo padrão foram entregues no ano passado, ao custo de aproximadamente US$ 21 bilhões, diz a Associação Geral dos Fabricantes da Aviação. Em comparação, o preço das passagens par a suíte de primeira classe da Etihad parece relativamente modesto.

O preço inicial da passagem só de ida é de aproximadamente US$ 20 mil – o preço é o mesmo para um ou dois passageiros – para os primeiros voos do A380, que começarão a partir em dezembro da base da Etihad em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos, com destino a Londres.

Passagem só de ida custa US$ 20 mil (NYT)

Trata-se de um voo de seis horas e meia – não é muito tempo para aproveitar as refeições chiques e vinhos servidos pelo mordomo, assistir a um filme na tela de 32 polegadas ou usar a cama dupla. Conforme a Etihad receber aeronaves A380 adicionais (foram encomendadas outras 10), cada uma equipada com suíte, a empresa aérea pretende oferecer serviço em rotas mais longas.

A Emirates, mais conhecida rival da Etihad no segmento de transportes aéreos de luxo, definiu o padrão em 2008 ao introduzir uma cabine de primeira classe em seus A380, com portas deslizantes para garantir a privacidade.

Joe Sharkey, The New York Times
Tradução de Augusto Calil

Tudo o que sabemos sobre:

EtihadLuxo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.