As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Aeroportos viram um improvável cenário de festas e de marketing

Marcas aproveitam tempo de espera dos passageiros para criar ações de marketing e degustação de produto

Economia & Negócios

21 de dezembro de 2015 | 09h23

Por Alyson Krueger, do The New York Times

Para Alisson Reeves, 34, atriz de Hollywood, os aeroportos costumam apavorá-la. “Odeio andar de avião. Odeio”, ela disse. Mas desta vez foi surpreendida pelo clima de festa no Aeroporto Internacional Kennedy, depois do feriado de Ação de Graças.

Andando pelo terminal 4, no início deste mês, ela chegou ao local onde se realizava uma festa preparada pela casa José Cuervo para o feriado prolongado, quando os americanos costumam viajar. Como os Rolling Stones adoravam tequila, a marca montou uma réplica do avião que a banda usou para se deslocar em sua turnê pela América do Norte, em 1972. Representantes da Cuervo, transformadas em sensuais comissárias de bordo dos anos 70, serviam tequila sunrise a passageiros que conversavam animados sobre rock. “Foi muito relaxante e divertido”, disse Allison.

Na temporada de viagens mais movimentada do ano, as marcas criaram experiências interativas em pop-ups nos terminais dos aeroportos. A ideia é chamar a atenção de viajantes felizes e que não se importam de gastar enquanto aguardam seus voos.

A Beam Suntory montou um luxuoso bar temporário no Aeroporto Internacional de Los Angeles onde exibe seus uísques provenientes de todas as partes do mundo. Ali, os viajantes recebem passaportes e selos para cada nova bebida que experimentam. A companhia calcula que o bar oferecerá ao todo cerca de 12 mil degustações gratuitas durante sua exibição no mês de dezembro.

“Vale a pena transformar estas experiências nos aeroportos em momentos memoráveis”, disse Andrew Meeks, gerente de marketing da companhia para a North America Duty Free. “Em vez de comentar: ‘Não encontrei lugar para estacionar’ ou ‘a T.S.A. foi um pesadelo’, agora eles podem dizer: ‘Aquela degustação de uísque foi fantástica’”.

No atual período de festas, a Beam Suntory apresenta o evento em Cingapura e Hong Kong. A JetBlue está trabalhando com uma variedade de marcas para entreter, ao que prevê, 1,5 milhão de clientes que passarão pelo Terminal 5 no Aeroporto Kennedy, da terça-feira antes do Dia de Ação de Graças até o final do ano. Com a Amazon, a JetBlue construiu o maior cinema Amazon Prime do mundo, onde, até 3 de janeiro, os viajantes poderão assistir a filmes gratuitamente.

Na quarta-feira antes do Dia de Ação de Graças, a JetBlue e a J. Crew realizaram uma festa que durou o dia todo, com lojas temporárias de tatuagens, cabines para fotos e lanches gratuitos. O consultor Steve Liu, 36 anos, de Nova York, estava regressando das Bahamas, onde passou as férias com a família, quando descobriu o evento. “Foi totalmente inesperado e com certeza a melhor recepção que uma companhia aérea jamais me proporcionou”, comentou. “Para muitos clientes, a experiência vivida num aeroporto acaba sendo um final de férias horrível”, disse Jamie Perry, vice-presidente de marca e desenvolvimento de produtos da JetBlue. “Nós sempre tentamos tornar mais amena a espera e transformá-la numa experiência mais agradável.” No ano passado, durante as festas, a JetBlue e a Zappos.com, loja de moda online, transformaram a esteira onde se apanham as bagagens numa mesa de roleta; se a bagagem de um passageiro chegava num determinado lugar, ele recebia um prêmio como mercadoria da Zappos.

Os aeroportos são um lugar ideal para os clientes experimentarem um produto, segundo Scott Green, diretor de marketing da Proximo Spirits, proprietária da José Cuervo. “Nestes lugares, parece que há uma suspensão do tempo”, disse. Além do que, os benefícios para o viajante são evidentes. “Acho que deveriam ser uma exigência”, afirmou Liu. “Aquela viagem de férias só terminou quando saímos da festa”. / TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA

Tendências: