‘Desafio Estadão Cannes’ terá mudanças

Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Desafio Estadão Cannes’ terá mudanças

Prêmio que dá viagens ao festival Cannes Lions a criativos, clientes e profissionais de mídia chega à terceira edição com reformulação de categorias

Economia & Negócios

27 de outubro de 2016 | 05h00

O prêmio “Desafio Estadão Cannes” chega à terceira edição com mudanças. As categorias foram reformuladas, mas continuarão com o objetivo de incentivar anunciantes e agências a pensar o ‘Estadão’ como um veículo multiplataforma. O foco não estará mais nos setores da economia, mas em diferentes propostas de cada agência para o veículo. Um novo prêmio vai adotar uma causa a cada ano. A escolha do profissional de mídia do ano será mantida. O ‘Estadão’ é o representante oficial do Cannes Lions – Festival Internacional de Criatividade no Brasil.

O diretor executivo comercial do Grupo Estado, Flávio Pestana, lembrou nesta quarta-feira, 26, no lançamento da terceira edição, que a origem do “Desafio Estadão Cannes” foi uma premiação focada em mídia que o Estadão manteve por 14 edições, até 2011. Criado em 2015, o “Desafio” já levou 29 profissionais ao maior festival de criatividade do mundo – o “pacote” oferecido inclui passagem aérea, hospedagem e a inscrição no evento. Neste ano, mais 12 vencedores serão escolhidos. Hoje, trata-se da maior prêmio em valores da publicidade brasileira.

cannes_helvio_blog

Evento com jurados da terceira edição: prêmio escolherá melhores da publicidade em quatro categorias (Foto: Hélvio Romero/Estadão)

A partir de agora, três categorias vão premiar os profissionais responsáveis pela criação, planejamento de mídia e aprovação da campanha no cliente. Essa premiação tripla valerá para as categorias Multiplataforma (dedicada às campanhas que melhor usarem as mídias do Grupo Estado, incluindo jornal, internet, site móvel, rádio e eventos), Impresso (melhor ação para o jornal) e Branded Content (estratégias de conteúdo de marca em uma ou mais plataformas).

A quarta categoria, a Brief Desafio, vai premiar a melhor campanha criada a partir de um tema determinado pelo jornal. Para a terceira edição do “Desafio Estadão Cannes”, o assunto escolhido foi “Conscientização sobre a violência contra a mulher”. “A ideia é receber ideias de criativos de agências de todo o Brasil”, explicou Pestana. “E o Estadão vai veicular o trabalho premiado.” No caso do Brief Desafio, a premiação será dada à melhor dupla de criação.

Respeitando a origem do prêmio, a escolha do Mídia do Ano continuará a seguir o modelo já adotado nos últimos dois anos. O Estadão seleciona, a partir de um mailing de cerca de 2 mil profissionais de mídia, os três finalistas. Essa lista é submetida ao mercado, que escolhe o vencedor. Todos os 12 premiados receberão também o troféu Ex-Libris, criado especialmente para o “Desafio Estadão Cannes”.

Jurados. O prêmio terá 14 jurados na terceira edição, entre profissionais do mercado de publicidade e jornalistas (veja a lista ao lado). Sócio da BETC, Erh Ray ajudará a selecionar os melhores trabalhos. “O Estadão, ao abraçar sua vocação multiplataforma, passa a acompanhar a jornada do consumidor”, diz. “Os jovens hoje leem notícias pelo meio digital, mas estão preocupados com a credibilidade do conteúdo.”

Outro jurado, o vice-presidente nacional de criação da Ogilvy, Cláudio Lima, diz que o “Desafio Estadão Cannes” é uma forma de as agências enviarem mais profissionais para absorverem o conteúdo ao maior festival de criatividade do mundo. Já Rodolfo Sampaio, vice-presidente e sócio da Moma, diz acreditar que o diferencial do prêmio é a credibilidade. “Ao saber que a peça pode participar de uma competição, os criativos trabalham com mais esmero, buscam uma forma diferente para fazer a campanha.”

Tudo o que sabemos sobre:

Cannes Lionsdesafio estadão cannes

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: