Designers criam ‘anti-logos’ em protesto contra a Copa de 2022
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Designers criam ‘anti-logos’ em protesto contra a Copa de 2022

Denúncias sobre trabalho escravo, que envolvem a preparação do Catar para sediar o evento, motivam criação de imagens

Economia & Negócios

26 Maio 2015 | 16h18

Em meio às denúncias sobre trabalho escravo que envolvem a preparação do Catar para a Copa do Mundo de 2022, um grupo de designers recriou logos e peças publicitárias de empresas patrocinadoras do evento, como a Coca-Cola, Budweiser, Adidas e Hyundai.

Publicadas no site The Roosevelts, as imagens foram chamadas de “anti-logos”, com o objetivo de trazer para a identidade visual das  marcas o tema escravidão. Confira o protesto na galeria abaixo:

Na madrugada da última quarta-feira, o ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol  e da organização da Copa do Mundo de 2014, José Maria Marin, e outros seis cartolas foram detidos por corrupção em Zurique.

Eles são acusados pela Justiça americana de ter recebido propinas milionárias em esquemas de corrupção no futebol. Entre os casos investigados pelo Ministério Público suíço está a compra de votos pelos russos e pelo Catar para as Copas do Mundo de 2018 e 2022.

Leia mais:

– Presidente da Fifa teria fechado pacto com Catar

– Jornal denuncia trabalho escravo em obras da Copa

– Presidente da Fifa nega responsabilidade